30 de mar de 2009

Projeto Tecelagem incentiva empreendedorismo em Goiás

Instituto Flamboyant está entre as 100 unidades artesanais mais produtivas do País

Projeto Tecelagem foi a primeira ação implantada pelo instituto e conta com a participação de dez tecelãs
Goiânia - O Instituto Flamboyant, por meio do Projeto Tecelagem, foi um dos vencedores em Goiás do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato. Criado para estimular o empreendedorismo e a cooperação entre um grupo de tecelãs, o projeto atende mulheres de comunidades carentes, situadas no entorno do Flamboyant Shopping Center e do condomínio horizontal AlphaVille Flamboyant, ambos em Goiânia (GO). Além da técnica da produção da tecelagem manual, as mulheres também são preparadas para empreender atividades econômicas e desenvolver trabalho cooperativo...

O Top 100 reconhece as unidades produtivas que mais se destacam por sua gestão e leva em conta critérios como design dos produtos e organização do espaço da produção. O prêmio contribui para a divulgação dos produtos artesanais brasileiros e dá visibilidade aos artesãos que conseguem transformar seu talento em bons negócios.

Nesta segunda edição do Top 100, 66 unidades se inscreveram representando o Estado de Goiás. Cinco foram premiadas. Além do Instituto Flamboyant, os outros são: Cerâmica Boa Nova e Associação Adelino de Carvalho, de Ipameri; Sucesso Jóias e Magda Santos, de Goiânia; Jazidas de Goiás e Christiano Vaz de Freitas, de Caldas Novas; e Tecelagem Olhos d´Água, de Alexânia.

Além de participar da cerimônia de premiação e das rodadas de negócios, que serão realizadas ainda no primeiro semestre no Rio de Janeiro, o Instituto Flamboyant poderá utilizar o selo ‘Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato – 2ª edição’ em suas peças. Receberá, ainda, um certificado de premiação e seu trabalho será divulgado nos sites do Sebrae Nacional e do Sebrae em Goiás, no CD promocional e no catálogo do prêmio.

Para Maria Beatriz Ribeiro de Lúcia, gestora de projetos de Artesanato no Sebrae em Goiás, o prêmio ressalta a atividade de pessoas que se dedicam ao seu negócio e estão há muito tempo em busca de aperfeiçoamento. “O Top 100 premia os profissionais que conseguem se formalizar e transformar o produto artesanal em um negócio viável. Muitas vezes unidades produtivas que não são contempladas com o prêmio apresentaram produtos bonitos, bem-feitos. Porém, o prêmio não é apenas para o design, para o produto. É, sobretudo, para a gestão do negócio, que envolve diversos aspectos”, avalia.

Desenvolver ações sociais com foco na geração de renda para comunidades carentes, realizar ações ambientais ligadas ao shopping e à comunidade e desenvolver projetos que melhorem a qualidade de vida dos colaboradores e seus familiares. Esses são os principais objetivos do Instituto Flamboyant, implantado em outubro de 2004, pelo Flamboyant Shopping Center.

“Entendemos a importância do nosso papel na indução das práticas de responsabilidade social por parte de todos: lojistas, administração, empregados, fornecedores, parceiros, governo, entidades empresariais, comunidade e organizações do terceiro setor. O que queremos é realizar a melhoria das oportunidades de vida das comunidades onde estamos inseridos”, afirma o coordenador geral do Instituto Flamboyant, Rommel Sena.

O Projeto Tecelagem foi a primeira ação implantada pelo instituto e conta atualmente com a participação de dez tecelãs. Elas produzem peças como bolsas, tapetes, mantas, cintos e outros acessórios. Além das bolsas, os jogos americanos tecidos com sacolas plásticas de supermercados são os produtos mais procurados. A produção é comercializada em eventos, bazares e no Balcão Social, instalado no segundo piso do shopping.

De acordo com a coordenadora do Projeto Tecelagem, Maria Goretti Paderes, o Top 100 é mais que um reconhecimento: significa uma oportunidade de aprimoramento. “Com as questões trazidas quando decidimos nos inscrever ao prêmio, tivemos que reorganizar muitos dos nossos processos internos. Funcionou como uma consultoria”, diz. Ela informa que o próximo passo do instituto é agregar valor com a linha de PET e couro vegetal.

A tecelã Eny da Costa, que está no projeto desde sua inauguração, comemora a premiação. “A gente ficou muito feliz. Isso aqui para mim representa quase que a minha vida, é uma terapia muito boa e a gente ainda ganha um dinheiro”, conta.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás) - (62) 3250-2268
Instituto Flamboyant - (62) 3546-2098
www.shoppingflamboyant.com.br


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa