30 de mar de 2009

Chile busca acordo com o Golfo

Uma equipe do governo viajou ao mundo árabe antes da Cúpula de Países Árabes e Sul-Americanos, que ocorre na próxima semana em Doha, para discutir o tema. O Chile quer mais comércio com a região.

São Paulo – O Chile tem intenção de fazer um acordo comercial com o Conselho de Cooperação do Golfo (GCC). O governo do país sul-americano, que estará na Cúpula de Países Árabes e Sul-Americanos (Aspa), em Doha, no Catar, na próxima semana, enviou uma equipe ao mundo árabe para discutir o tema. A informação é do diretor executivo do Conselho Empresarial Chileno Árabe, Jorge Daccarett, que representará o setor privado em Doha. Segundo ele, estão sendo realizadas apenas as primeiras conversas...

Chile tem PIB de US$ 180 bilhões
De acordo com Daccarett, interessa ao Chile exportar alimentos, como salmão e frutas, além de produtos florestais, aos árabes. O maior benefício de um acordo comercial com o Golfo, porém, segundo ele, seria a inclusão de um capítulo de proteção dos investimentos para que o país possa atrair capital árabe. O GCC é formado por Arábia Saudita, Bahrein, Catar, Emirados Árabes Unidos, Kuwait e Omã.

“O Chile é um país estável política e economicamente. É uma plataforma ao Pacífico e pode ser um meio de os árabes chegarem a terceiros mercados com os quais o Chile tem acordos”, disse Daccarett. A presidente chilena, Michelle Bachelet, estará na Aspa.

Os chilenos faturaram US$ 340 milhões com exportações ao mundo árabe no ano passado, dos quais 78% foram para apenas dois países: Arábia Saudita e Emirados. As exportações foram basicamente de madeira, celulose, um pouco de salmão e frutas, e representam apenas 0,48% do total que o Chile vende ao mundo. Daccarett acredita que há potencial para aumentar o comércio com a região. Os chilenos não exportam aos árabes, por exemplo, o cobre, que é seu principal produto no mercado externo.

“O Chile nunca teve como foco os países árabes. Não é um mercado que tem sido prioritário para o Chile e essa é uma oportunidade de começarmos a trabalhar com o mundo árabe”, disse Daccarett a respeito da Aspa e do fórum empresarial que vai ocorrer antes do encontro de chefes de estado. De acordo com o diretor executivo, o Conselho Empresarial Chileno Árabe está trabalhando para colocar os países árabes na agenda do governo chileno.
Direto da CCAB

Um acordo com o GCC deve ajudar neste sentido. Alguns outros passos também já estão sendo dados. O país sul-americano vai abrir a sua primeira embaixada num país árabe - os Emirados - ainda neste semestre.

Economia chilena tem reputação internacional
O Chile é um dos países da América do Sul de maior reputação econômica. O país tem um Produto Interno Bruto (PIB) de cerca de US$ 180 bilhões e recebeu, em 2008, US$ 17 bilhões em investimentos diretos estrangeiros. A cifra praticamente quadruplicou em cinco anos. Os principais produtos da indústria chilena são cobre e outros minérios, alimentos, produtos de peixe, ferro e aço, equipamentos para transporte, madeira, cimento e produtos têxteis. A indústria responde por 50% do PIB.


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa