21 de mar de 2009

CURSO DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTE INTERNACIONAL - FIEPE

A Confederação Nacional da Indústria, em parceria com a Aduaneiras, com apoio do Programa AL-Invest, através do Centro Internacional de Negócios da FIEPE (CIN/PE), estará promovendo no dia 6 de abril de 2009, o curso de Logística de Transporte Internacional, com carga horária de 8 horas.

OBJETIVO: Estimular o aluno a conhecer e refletir sobre as logísticas de transporte possíveis e como usá-las, dando-lhe conceitos básicos dos modais e auxiliando-o a desenvolver alternativas entre todos as existentes e adequá-las à sua empresa.

PÚBLICO-ALVO: Profissionais da área de comércio exterior e transportes internacionais...


LOCAL: SENAI – Centro de Formação Profissional Manoel de Brito – Av. Norte, 539 – 3º. Andar – Santo Amaro

PROFESSOR: SAMIR KEEDI
- Mestre e pós-graduado em Administração
- Economista e professor universitário
- Consultor da Aduaneiras para assuntos de Transporte Internacional
- Tradutor do Incoterms 2000
- Colunista de Jornais e Revistas
- Autor dos livros: Transportes, Unitização e Seguros Internacionas de Carga; Logística de Transporte Internacional; ABC do Comércio Exterior; Transportes e Seguros no Comércio Exterior; Logística, transporte, comércio exterior e economia em conta-gotas

PROGRAMA:
01. Introdução à logística, Incoterms e modais de transporte
- introdução ao estudo da logística: atividade milenar
- breve visão dos modais de transporte: aquaviário, terrestre e aéreo e unitização de carga
- breve estudo do Incoterms 2000

02. Importância da logística, globalização e preços
- importância atual da logística: plano interno e plano externo
- globalização visível e a logística
- novo paradigma dos preços das mercadorias e a logística

03. A importância do Incoterms, do container, da multimodalidade e intermodalidade e transbordo
- importância do Incoterms na logística
- container: a vedete da unitização, logística e globalização
- importância da multimodalidade, intermodalidade e transbordo e empresas de serviços na logística

04. A logística em ação, com dois cases e uma nova visão logística - o avião
- logística de transporte em toda a sua plenitude: exemplo de uma exportação São Paulo / Moscou
- logística de transporte vencendo a guerra: UNEF - a saga do frango no Iraque
- avião como o futuro da logística de transporte

05. Custos logísticos e aspectos operacionais, de venda, legais e tributários
- custos logísticos: gerais e circunstanciais
- aspectos operacionais, de venda, legais e tributários

INSCRIÇÕES:
Valor do investimento: R$ 200,00 (inclui material)
Ficha de inscrição abaixo.

INFORMAÇÕES: 81 3412.8423 – cin@fiepe.org.br




Read more!

Diretório de Comércio Exterior - Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco

A globalização da economia, acelerada na última década, trouxe como conseqüência a exposição das empresas a uma acirrada competição mercadológica, além das fronteiras estaduais ou nacionais, obrigando-as a buscarem maior competitividade, na manutenção ou ampliação de seus mercados consumidores, tanto interno como internacional.

A FIEPE, através do Centro Internacional de Negócios, tem como um de seus objetivos, apoiar o empresariado pernambucano na aquisição dos fatores de competitividade que possibilitem uma maior inserção internacional, disponibilizando inúmeros serviços e programas de cooperação internacional como AL-Invest com países da União Européia e Nusa-Partners, com os Estados Unidos da América...

Justifica-se, assim, a nova edição deste Diretório de Comércio Exterior, como instrumento de informação sobre nossos fluxos de comércio, sobre as empresas pernambucanas que atuam em comercio exterior e, de orientação quanto aos procedimentos demandados pelas empresas que pretendem disputar o mercado internacional.

Finalmente, o Diretório se amplia pelo reconhecimento às colaborações de outras entidades públicas e privadas, que comungam dos mesmos objetivos, de contribuírem para um maior desenvolvimento sócio-econômico de Pernambuco.

Recife, junho de 2006

Paulo Gustavo de Araújo Cunha
Vice-presidente para Relações Internacionais




Read more!

Centro Internacional de Negócios - Pernambuco

O CIN-PE - Centro Internacional de Negócios, localizado na FIEPE e interligado com os demais CINs estaduais liderados pela CNI-Confederação Nacional de Indústrias, constitui um espaço estruturado e interligado nacional e internacionalmente através da Internet, destinado à promoção de negócios internacionais como trocas comerciais, atração de investimentos, cooperação técnica e de capacitação, joint ventures e outras atividades afins.

Tem como focos prioritários promoção das exportações e aproximação das pequenas e médias empresas ao mercado internacional, através da disseminação de informações e participação em eventos dedicados, assim como pela capacitação em gestão do produto, processos e mercados e por inserção articulada no aproveitamento da potencialidade local...

A atuação em Rede Nacional harmoniza ações, objetivos e recursos de vários agentes, bem como facilita a veiculação de dados e informações, promovendo-os nacional e internacionalmente.

Constituem áreas prioritárias de trabalho:

· Sensibilização Empresarial - Busca despertar postura empresarial receptiva a uma maior participação nas exportações de Pernambuco, valorizando o comércio exterior como importante complemento ao mercado interno;

· Apoio Técnico - Objetiva apoiar empresas, identificando fontes e disseminando dados estatísticos e mercadológicos, além de emitir Certificados de Origem, disponibilizando fontes de informações especializadas em dados mercadológicos e tarifas aplicadas, em diferentes paises.

· Treinamento - Identifica carências gerenciais e técnicas nas áreas de produtos, processos e mercado, articulando-se com outras entidades, tipo SEBRAE e SENAI, para oferta de treinamento.

· Consultorias - Visam prover atendimento às empresas de conhecimento especializado e orientação em casos específicos, formando uma rede interna de prestadores de serviços.

· Promoção de Negócios - Tem por finalidade divulgar e estimular a participação de empresas e entidades em eventos nacionais e internacionais, objetivando prioritariamente as exportações e a atração de investimentos.

· Cooperação Internacional - Identifica fontes internacionais supridoras de formação técnica profissionalizante, transmissão de tecnologia, métodos de produção, comercialização e participação em Feiras, colaborando na viabilização de acordos de cooperação internacional, como Programa AL-Invest com Comissão Européia e Nusa Partners com EUA.

· Certificados de Origem – emissão de certificados exigidos por acordos de livre comércio, atestando procedência nacional dos produtos exportados.

Contatos:

Paulo Gustavo Cunha
Vice-presidente da Fiepe para Relações Internacionais
(81) 3412-8476
e-mail: pcunha@fiepe.org.br

Camila Barreto
Coordenadora do Centro Internacional de Negócios
(81) 3412-8359
e-mail: cbarreto@fiepe.org.br




Read more!

Setor de confecção é beneficiado com qualificação de mão-de-obra

A cada dia que passa a procura por cursos técnicos de qualidade vem crescendo gradativamente em todo o país. Os cursos possuem o objetivo de preparar a pessoa para o mercado de trabalho de uma forma simples e prática.

Para isso, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Departamento Regional do Piauí - vem intensificando a oferta de diversos cursos de formação profissional em diferentes áreas de atuação em todo o Estado.

Um destes cursos é Operador de Máquinas de Costura Industrial, que está sendo realizado nas dependências do Piauí Center Moda, no bairro Tabuleta, em Teresina. O local abriga mais de 120 lojas, sendo considerado o maior centro de comercialização do segmento têxtil no Piauí. O curso promovido pelo Senai-Pi está sendo desenvolvido através de parceria com o Sebrae, o Sindivest e a Fundação Wall Ferraz, contando com uma carga horária de 240 horas/aula e a participação de 60 alunos, divididos em três turmas de 20...

De acordo com o Instrutor Sérgio Alves Noronha, técnico formado pelo CETIQT, no Rio de Janeiro, 80% dos alunos são pessoas que estão em busca de uma profissão e desejam ingressar no mercado de trabalho. É o caso de Cássia Rodrigues de Sousa, de 23 anos, que atualmente tem como fonte de renda o que arrecada na venda de bijuterias. Ela diz que pretende, de início trabalhar em uma empresa do setor de confecção para adquirir capital para montar o seu próprio negócio. “Para isso, me desloco da cidade de Timon, no Maranhão, todos os dias às 5 horas da manhã para poder freqüentar as aulas do curso. Não vejo a hora de receber o certificado do Senai”, diz Cássia, esperançosa.

O presidente do Sindicato da Indústria do Vestuário Calçados e Artefatos de Tecidos de Teresina (Sindivest), Francisco Marques de Melo, destaca a importância de cursos como este para o setor no Piauí. “O Estado possui centenas de empresas e gera milhares de empregos em toda a sua extensa cadeia e o Piauí se destaca na qualidade de sua produção. É um mercado desafiador e carente de mão-de-obra, por isso a importância de cursos como os que o Senai oferece”, diz Francisco Marques.

Para o diretor regional do Senai do Piauí Ewerton Negri Pinheiro, “Essa é uma oportunidade da comunidade se qualificar gratuitamente. Ao término do curso, nossos alunos estão aptos para trabalhar em indústrias do setor”, afirma Ewerton Negri Pinheiro.

“A perspectiva dos cursos de formação profissional do Senai do Piauí, para qualquer setor industrial, é o foco nas demandas do mercado de trabalho, ressalta o presidente da Fiepi e do Conselho Regional do Senai-PI, Antônio José de Moraes Souza. Segundo ele, o curso de operador de máquina de costura complementa a formação profissional oferecida pela instituição à cadeia produtiva do vestuário.



Read more!

Entidades realizam Fórum voltado para o setor de couro, calçado e artefatos

Uma palestra voltada para o segmento de Couro, Calçados e Artefatos do setor sobre as tendências da moda para o próximo ano., aconteceu na noite desta segunda-feira (16), no auditório do Sebrae no Piauí. O evento integra o Fórum de Inspirações para Calçados e Artefatos – Verão 2010 idealizado pela Assintecal. A palestra foi proferida pela designer Tatiana Souza.

Na ocasião, Tatiana Souza, apresentou as inspirações para o verão do próximo ano, que foram definidas pelo Núcleo de Design da entidade e pelo Núcleo de Apoio ao Design do Senai, sob a coordenação do estilista de renome internacional Walter Rodrigues. As inspirações são o resultado de um amplo trabalho de pesquisa iniciado em setembro de 2008...


O Fórum foi direcionado a empresários, profissionais e estudantes de moda de Teresina. Além da palestra, os participantes receberam um catálogo do fórum e visitaram um show-room com calçados e acessórios criados com os temas propostos pelo fórum.

As atividades do Fórum prosseguiram nesta terça-feira (17), com uma Oficina de Criação para os empreendedores atendidos pelo Projeto Artefatos de Couro e Similares do Sebrae no Piauí, realizada no auditório do Cefet, em Teresina.

“O segmento de calçados e acessórios possui em Teresina trinta e sete unidades de produção Esses empreendimentos geram quase trezentos e cinqüenta postos de trabalho. A produção desses micro e pequenos negócios a cada dia torna-se bastante otimista. Um exemplo disso foi à produção peças em 2008 que chegou a quase setecentos mil pares de sandálias e cento e trinta mil bolsas”, disse o gestor do Projeto Artefatos de Couro e Similares do Sebrae no Piauí, Helder Freitas.

De acordo com a designer de moda, Tatiana Souza, participação das entidades parcerias é muito importante para o crescimento do setor local. Tatiana enfatizou que o mercado piauiense é bastante promissor. Segundo ela a demanda por cursos, treinamentos e consultorias é muito grande. “Por isso, quando fui perguntada por uma jovem estudante interessada na sua capacitação na área, recomendei que ela procurasse o Senai, que tem essa missão”, afirmou.

“O Senai tem a missão de capacitar os empresários, os estudantes e todos aqueles que estão interessados a ingressarem na atividade. O Senai é uma entidade diferenciada e tem a importância de conduzir e repassar as informações para estas pessoas, porque no Estado existe essa demanda, mas é carente de profissionais”, disse Tatiana Souza, acrescentando, que após o fórum algumas pessoas perguntaram sobre cursos de modelagem. Como resposta ela recomendou as mesmas a procurarem o Senai.

Para o Técnico do Senai do Piauí, Raimundo José Fontenele, o Fórum de Inspirações para Calçados e Artefatos em Teresina, faz parte das ações do Programa SENAI de Gestão do Design (PSGD), coordenado pelo DN e com a participação de 7 DRs para o setor.


Read more!

Mesquita Júnior quer ensino obrigatório de Espanhol e defende ingresso da Venezuela no Mercosul Esta matéria contém recursos multimídia

A instituição do Espanhol como segunda língua do Brasil, passando seu ensino a ser obrigatório no sistema escolar nacional, com o Inglês tornando-se opcional. Esse ponto de vista foi defendido pelo senador Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC), em Plenário, nesta sexta-feira (20), quando abordou a integração sul-americana, aproveitando para manifestar posição a favor da aprovação da inclusão da Venezuela como membro permanente do Mercosul, bloco regional formado pelo Brasil e mais três países do Cone Sul - Argentina, Paraguai e Uruguai.

O ensino de Espanhol no Brasil passou a ser disciplinado por norma especifica (Lei 11.161/05), que tornou obrigatória a oferta de Espanhol em escolas públicas e particulares de ensino médio, mas estipulando como facultativa a matrícula por parte dos alunos. O processo de implantação deve ser concluído pelos estabelecimentos até o ano que vem. Com relação ao ensino fundamental, do 6º ao 9º ano, a inclusão da língua espanhola nos currículos é facultativa...

- Isso [o ensino do Espanhol] facilitará o processo de integração que, daqui a quinze anos, estará muito mais avançado. O domínio da língua tornará mais factível esse processo - justificou.
- Isso [o ensino do Espanhol] facilitará o processo de integração que, daqui a quinze anos, estará muito mais avançado. O domínio da língua tornará mais factível esse processo - justificou.

Quanto à admissão da Venezuela no Mercosul, Mesquita Júnior disse que ela pode contribuir para "escancarar a porta" para o ingresso de países ainda reticentes a participar do bloco. A adesão da Venezuela, já aprovada pelo Congresso desse país, foi também acolhida pelo Uruguai e pela Argentina. Falta a aprovação dos legislativos do Paraguai e do Brasil, onde a proposta já passou na Câmara dos Deputados, mas ainda enfrenta resistência de parte dos senadores - o argumento é de que o país é governado pelo presidente Hugo Chávez fora dos preceitos democráticos.

- Sem entrar no mérito dessa questão, eu considero que a entrada da Venezuela é importante para o país, seu povo, independentemente do governo de plantão - opinou.

Em aparte, o senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) disse que, no que se refere à Venezuela, sentia-se numa situação delicada. Como representante de estado que faz fronteira com aquele país e dele depende até para o abastecimento de energia, disse que deseja votar a favor do ingresso dos venezuelanos no Mercosul. Porém, ressalvou que também se preocupa com a situação política interna do país vizinho.

- Temos que abrir diálogo. Não queremos ter ingerência em assuntos internos de outro país, mas democracia não é algo que se relativize - disse.

Parlasul

Ao trazer o tema regional a Plenário, Mesquita Júnior esclareceu que a iniciativa era também uma forma de prestar contas sobre sua participação na mais recente sessão do Parlasul, o Parlamento do Mercosul, realizada no início desta semana (16 e 17). No discurso, ele disse "sonhar" com o ingresso, no bloco, da Bolívia e do Peru, países que fazem fronteira com seu estado, o Acre. Assinalou, no entanto, que a admissão deve representar o interesse não somente de habitantes de estados fronteiriços, mas de todos os brasileiros, diante da importância do Mercosul.

- Sozinhos não vamos a lugar nenhum. Juntos, podemos ir aonde desejarmos. Por isso, sou fã ardoroso da consolidação do Mercosul - disse.

Para o senador, os países sul-americanos podem vir a ser um "grande bloco social, político e econômico". Especialmente em momento de crise, como o atual, ele disse que ações de alcance regional podem ser decisivas e abrir novas oportunidades para todos. Ele considera um "absurdo" as dificuldades que sul-americanos ainda encontram para circular pelos diversos países da região.

Mesquita Júnior disse esperar que o tema da integração se firme de uma vez na agenda brasileira, já que se encontra em debate, no Parlasul, a transformação dessa instituição em órgão deliberativo, com representação proporcional ao peso demográfico de cada país e representantes eleitos de forma direta. Hoje, os países possuem o mesmo número de representantes, destacados entre membros de cada parlamento nacional. Com a mudança, o Brasil poderia passar de um número atual, de 18 parlamentares, para 60.

- A população precisar participar porque será um fato novo na vida do país. Infelizmente, essa discussão ainda não entrou na 'veia' nem dos próprios parlamentares. O Brasil não pode passar ao largo, tamanha é a importância do tema para a consolidação do bloco que está se formando -destacou.
Da Redação / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)
89051



Read more!

Instituto Brasileiro de Frutas - Eventos

A participação de empresas exportadoras e associações em grandes feiras setoriais e multisetoriais de alimentos, bem como de rodadas de negócios, é uma das formas de obter sucesso e visibilidade no mercado global, o que muitas vezes pode representar apenas o início de um relacionamento que pode resultar numa grande parceria.
Com visão estratégica, o IBRAF (Instituto Brasileiro de Frutas), tem procurado garantir e desenvolver os produtos brasileiros nos principais eventos internacionais do setor, como Fruit Logística, Polagra, Anuga, Macfrut, PMA entre outras, possibilitando a inserção de um número cada vez maior de empresas brasileiras no mercado internacional.

Eventos já realizados:

* Fruit Logística - 2009 - Berlin/Alemanha: 04 a 06 de fevereiro;
* Gulfood - 2009 - Dubai/Emirados Árabe: 23 a 26 de fevereiro;

Eventos futuros:

2009

* Ásia Fruit Logística – 2009 - Hong Kong – China: 02 a 04 de setembro
* World Food Moscow – 2009 - Moscou – Rússia: 15 a 18 de setembro
* PMA - 2009 - Anaheim –Califonia – USA: 02 a 05 de outubro
* Anuga – 2009- Colônia – Alemanha: 10 a 14 de outubro

2010

* Fruit Logística - 2010 - Berlin – Alemanha: 03 a 05 de fevereiro
* Gulfood - 2010 - Dubai – Emirados Árabes Unidos: 21 a 24 de fevereiro
* Alimentaria Barcelona – 2010 - Barcelona – Espanha: 20 a 23 de março
* FHA – 2010 – Singapura – Ásia - 20 a 23 de abril
* Worl Food Moscow – 2010 - Moscou – Rússia: setembro de 2010
* Sial – 2010 - Paris – França: 19 a 23 de outubro

Cursos:

Para mais informações sobre como participar nestes eventos entre em contato conosco por telefone: 11 3223-8766 ou e-mail: brazilianfruit@ibraf.org.br.




Read more!

ABEF se mobiliza para concretizar o drawback integrado

A Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos (ABEF) está se mobilizando para que seja concluída, na prática, a inclusão do setor de carnes no chamado drawback integrado. Essa legislação permite a isenção de IPI e PIS/Cofins na aquisição de insumos, no mercado interno, destinados à elaboração de produtos a serem exportados. E no caso do setor de frango se aplicaria às compras de milho e de farelo de soja, que compõem a ração animal.

A Medida Provisória 451, que inclui o setor de carnes no drawback integrado, já foi publicada. Mas a regulamentação, através de portaria esperada para antes do Carnaval, ainda não saiu. Enquanto isto as empresas continuam recolhendo dezenas de milhões de reais mensalmente.

“A ABEF tem feito intensos contatos tanto nos ministérios da Fazenda e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, quanto com parlamentares ligados ao agronegócio. Mas infelizmente a informação disponível, fornecida por técnicos, é de que existem incorreções na MP. Essa pendência precisa ser resolvida logo, de forma a aliviar o setor nesta conjuntura de crise”, defendeu o Presidente Executivo da Associação, Francisco Turra.

De acordo com as estatísticas da ABEF, no primeiro bimestre deste ano foi registrada uma queda de 20% na receita cambial com as exportações brasileiras de carne de frango. Para se adaptar à crise, frigoríficos do setor tiveram de conceder férias coletivas para milhares de funcionários.



Read more!

MDIC sedia reunião bilateral de comércio Brasil Bolívia

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, vai coordenar, nesta segunda-feira (23/03), em Brasília, a 5ª Reunião da Comissão de Monitoramento do Comércio Bilateral Brasil-Bolívia.

A pauta prevê, dentre outros temas, integração dos setores produtivos, cooperações comerciais de propriedade intelectual e de medidas sanitárias entre os países, além de flexiblização de Regras de Origem para produtos do setor têxtil. O evento será realizado no próprio ministério, a partir das 10h...

A corrente de comércio bilateral entre o Brasil e a Bolívia, no primeiro bimestre de 2009, totalizou US$ 370 milhões, caindo 34% em relação ao mesmo período de 2008, quando atingiu US$ 560 milhões. Em janeiro-fevereiro deste ano, as exportações brasileiras para a Bolívia somaram US$ 134 milhões, com redução de 11,3% sobre os mesmos meses do ano anterior (US$ 151 milhões).

No período em análise, a participação das vendas brasileiras para a Bolívia representou 0,7% da pauta total, percentual ligeiramente maior que o registrado em 2008, de 0,58%.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Social do MDIC
(61) 2109.7190 e 2109.7198
Luiz Calcagno Fettermann
luiz.fettermann@desenvolvimento.gov.br



Read more!

Conselhos Empresariais e Assessorias Especializadas

Conselho Empresarial de Assuntos Legislativos
- Assessoria Jurídica - DJU
Tel: (21) 2563-4418 / E-mail: juridico@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Gestão Estratégica para Competitividade
- Instituto Euvaldo Lodi - IEL-RJ
Tel: (21) 2563-4491 / E-mail: conselhocompetitividade@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Política Social e Trabalhista
- Assessoria Jurídica - DJU
Tel: (21) 2563-4430 / E-mail: dacosta@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Relações Internacionais
- Centro Internacional de Negócios - CIN
Tel: (21) 2563-4225 / E-mail: cin@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Política Econômica e Industrial
- Diretoria de Desenvolvimento Econômico - DDE
Tel: (21) 2563-4205 / E-mail: estudos.pesquisas@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Energia
- Gerência de Novos Investimentos e Infra-Estrutura - GNI
Tel: (21) 2563-4212 / E-mail: gni@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Infra-estrutura
- Gerência de Novos Investimentos e Infra-Estrutura - GNI
Tel: (21) 2563-4196 / E-mail: gni@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Meio Ambiente
- Gerência de Meio Ambiente
Tel: (21) 2563-4213 / E-mail: meioambiente@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Responsabilidade Social
- Assessoria de Responsabilidade Social
Tel: (21) 2563-4240 / E-mail: responsabilidadesocial@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Tecnologia
- Gerência de Desenvolvimento e Inovação
Tel: (21) 2563-4157/ E-mail: tecnologia@firjan.org.br
Mais informações

Conselho dos Presidentes de Conselho de Representações Regionais
- Instituto Euvaldo Lodi - IEL-RJ
Tel: (21) 2563-4193 / E-mail: iel@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Recursos Hídricos
- Gerência de Meio Ambiente
Tel: (21) 2563-4140/ E-mail: recursos.hidricos@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial de Jovens Empresários
- Instituto Euvaldo Lodi - IEL-RJ
Tel: (21) 2563-4491 / E-mail: iel@firjan.org.br
Mais informações

Conselho Empresarial da Indústria da Construção
- Diretoria de Desenvolvimento Econômico - DDE
Tel: (21) 2563-4205 / E-mail: estudos.pesquisas@firjan.org.br
Mais informações


Read more!

Conselho Empresarial de Jovens Empresários

Criado em julho de 2004, o Conselho Empresarial de Jovens Empresários visa incentivar o empreendedorismo e o surgimento de novas lideranças, no meio empresarial, comprometidas com a Ética, a Cidadania, o Bem-Estar Social, além de realizar o intercâmbio de conhecimento e contribuir para o desenvolvimento sustentado do estado.

Composto por jovens dirigentes de empresas de diversos segmentos da indústria do Rio de Janeiro, o conselho se reúne mensalmente para discutir e formular ações sobre assuntos que vão desde o dia-a-dia do executivo, a relação universidade x empresa, inovação, até o papel social das empresas e a imagem que a sociedade tem do empreendedor.

Onde encontrar:
- Instituto Euvaldo Lodi - IEL-RJ
Tel: (21) 2563-4491 / E-mail: iel@firjan.org.br

Veja também: Lista completa dos Conselhos Empresariais



Read more!

Resolução regulamenta decreto que reduz ICMS para diversas mercadorias - Relação

NCM DESCRIÇÃO
84.02 Caldeiras de vapor (geradores de vapor), excluídas as caldeiras para
aquecimento central concebidas para produção de água quente e vapor de baixa
pressão, caldeiras denominadas "de água superaquecida".
84.03 Caldeiras para aquecimento central, exceto as da posição 84.02.
84.04 Aparelhos auxiliares para caldeiras das posições 84.02 ou 84.03 (por exemplo,
economizadores, superaquecedores, aparelhos de limpeza de tubos ou de
recuperação de gás), condensadores para máquinas a vapor.
84.06 Turbinas a vapor.
84.07 Motores de pistão, alternativo ou rotativo, de ignição por centelha (motores de
explosão).
8409. -de Motores para aviação...
10.00
84.10 Turbinas hidráulicas, rodas hidráulicas, e seus reguladores.
84.11 Turborreatores, turbopropulsores e outras turbinas a gás.
84.12 Outros motores e máquinas motrizes.
84.13 Bombas para líquidos, mesmo com dispositivo medidor, elevadores de líquidos.
84.14 Bombas de ar ou de vácuo, compressores de ar ou de outros gases e
ventiladores, coifas aspirantes para extração ou reciclagem, com ventilador
incorporado, mesmo filtrantes.
84.16 Queimadores para alimentação de fornalhas de combustíveis líquidos,
combustíveis sólidos pulverizados ou de gás, fornalhas automáticas, incluídos as
antefornalhas, grelhas mecânicas, descarregadores mecânicos de cinzas e
dispositivos semelhantes.
84.17 Fornos industriais ou de laboratório, incluídos os incineradores, não elétricos.
84.19 Aparelhos e dispositivos, mesmo aquecidos eletricamente (exceto os fornos e
outros aparelhos da posição 85.14), para tratamento de matérias por meio de
operações que impliquem mudança de temperatura, tais como aquecimento,
cozimento, torrefação, destilação, retificação, esterilização, pasteurização,
estufagem, secagem, evaporação, vaporização, condensação ou arrefecimento,
exceto os de uso doméstico, aquecedores de água não elétricos, de aquecimento
instantâneo ou de acumulação.
84.20 Calandras e laminadores, exceto os destinados ao tratamento de metais ou
vidro, e seus cilindros.
84.21 Centrifugadores, incluídos os secadores centrífugos, aparelhos para filtrar ou
depurar líquidos ou gases.
84.23 Aparelhos e instrumentos de pesagem, incluídas as básculas e balanças para
verificar peças usinadas, excluídas as balanças sensíveis a pesos não superiores
a 5cg, pesos para quaisquer balanças. (Exceto Ex 01 - De uso doméstico)
84.25 Talhas, cadernais e moitões, guinchos e cabrestantes, macacos.
84.26 Cábreas; guindastes, incluídos os de cabo; pontes rolantes, pórticos de descarga
ou de movimentação, pontes-guindastes, carros-pórticos e carros-guindastes.
84.27 Empilhadeiras, outros veículos para movimentação de carga e semelhantes,
equipados com dispositivos de elevação.
84.28 Outras máquinas e aparelhos de elevação, de carga, de descarga ou de
movimentação (por exemplo, elevadores, escadas rolantes, transportadores,
teleféricos).
84.29 Bulldozers, "angledozers", niveladores, raspo-transportadores ("scrapers"), pás
mecânicas, escavadores, carregadoras e pás carregadoras, compactadores e
rolos ou cilindros compressores, autopropulsados.
84.30 Outras máquinas e aparelhos de terraplenagem, nivelamento, raspagem,
escavação, compactação, extração ou perfuração da terra, de minerais ou
minérios, bate-estacas e arranca-estacas, limpaneves.
84.31 Partes reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinadas às máquinas
e aparelhos das posições 84.25 a 84.30.
84.32 Máquinas e aparelhos de uso agrícola, hortícola ou florestal, para preparação ou
trabalho do solo ou para cultura, rolos para gramados, ou para campos de
esporte.
84.33 Máquinas e aparelhos para colheita ou debulha de produtos agrícolas, incluídas
as enfardadeiras de palha ou forragem, cortadores de grama e ceifeiras,
máquinas para limpar ou selecionar ovos, frutas ou outros produtos agrícolas,
exceto as da posição 84.37.
84.34 Máquinas de ordenhar e máquinas e aparelhos para a indústria de lacticínios.
84.36 Outras máquinas e aparelhos para agricultura, horticultura, silvicultura,
avicultura ou apicultura, incluídos os germinadores equipados com dispositivos
mecânicos ou térmicos e as chocadeiras e criadeiras para avicultura.
84.37 Máquinas para limpeza, seleção ou peneiração de gr os ou de produtos
hortícolas secos, máquinas e aparelhos para a indústria de moagem ou
tratamento de cereais ou de produtos hortícolas secos, exceto dos tipos
utilizados em fazendas.
84.38 Máquinas e aparelhos não especificados nem compreendidos em outras posições
do presente Capítulo, para preparação ou fabricação industrial de alimentos ou
de bebidas, exceto as máquinas e aparelhos para extração ou preparação de
óleos ou gorduras vegetais fixos ou de óleos ou gorduras animais.
8444. Máquinas para extrudar, estirar, texturizar ou cortar matérias têxteis sintéticas
00 ou artificiais.
84.45 Máquinas para preparação de matérias têxteis, máquinas para fiação, dobragem
ou torção, de matérias têxteis e outras máquinas e aparelhos para fabricação de
fios têxteis, máquinas de bobinar (incluídas as bobinadeiras de trama) ou de
dobar matérias têxteis e máquinas para preparação de fios têxteis para sua
utilização nas máquinas das posições 84.46 ou 84.47.
84.46 Teares para tecidos.
84.47 Teares para fabricar malhas, máquinas de costura por entrelaçamento
("couture-tricotage"), máquinas para fabricar guipuras, tules, rendas, bordados,
passamanarias, galões ou redes, máquinas para inserir tufos.
84.48 Máquinas e aparelhos auxiliares para as máquinas das posições 84.44, 84.45,
84.46 ou 84.47 (por exemplo, ratieras (teares maquinetas), mecanismos
"Jacquard", quebra-urdiduras e quebratramas, mecanismos troca-lançadeiras),
partes e acessórios reconhecíveis como exclusiva ou principalmente destinados
às máquinas da presente posição ou das posições 84.44, 84.45, 84.46 ou 84.47
(por exemplo, fusos, aletas, guarnições de cardas, pentes, barras, fieiras,
lançadeiras, liços e quadros de liços, agulhas, platinas, ganchos).
8449. Máquinas e aparelhos para fabricação ou acabamento de feltro ou de falsos
00 tecidos, em peça ou em formas determinadas, incluídas as máquinas e
aparelhos para fabricação de chapéus de feltro; formas para chapelaria.
84.54 Conversores, cadinhos ou colheres de fundição, lingoteiras e máquinas de vazar
(moldar), para metalurgia, aciaria ou fundição.
84.55 Laminadores de metais e seus cilindros.
84.56 Máquinas-ferramentas que trabalhem por eliminação de qualquer matéria,
operando por "laser" ou por outro feixe de luz ou de fótons, por ultra-som, por
eletroerosão, por processos eletroquímicos, por feixes de elétrons, por feixes
iônicos ou por jato de plasma.
84.57 Centros de usinagem, máquinas de sistema monostático ("single station") e
máquinas de estações múltiplas, para trabalhar metais.
84.58 Tornos (incluídos os centros de torneamento) para metais.
Máquinas e aparelhos para selecionar, peneirar, separar, lavar, esmagar, moer,
misturar ou amassar terras, pedras, minérios ou outras substâncias minerais
sólidas (incluídos os pós e pastas), máquinas para aglomerar ou moldar
84.74
combustíveis minerais sólidos, pastas cerâmicas, cimento, gesso ou outras
matérias minerais em pó ou em pasta; máquinas para fazer moldes de areia
para fundição.
8479. -Máquinas e aparelhos para obras públicas, construção civil ou trabalhos
10 semelhantes
8479.
Automotrizes para espalhar e calcar pavimentos betuminosos
10.10
Caixas de fundição; placas de fundo para moldes, modelos para moldes; moldes
84.80 para metais (exceto lingoteiras), carbonetos metálicos, vidro, matérias minerais,
borracha ou plásticos.
Fornos elétricos industriais ou de laboratório, incluídos os que funcionam por
85.14 indução ou por perdas dielétricas; outros aparelhos industriais ou de laboratório
para tratamento térmico de matérias por indução ou por perdas dielétricas.
Aparelhos elétricos de sinalização (excluindo os de transmissão de mensagens),
de segurança, de controle e de comando, para vias férreas ou semelhantes, vias
85.30
terrestres ou fluviais, para áreas ou parques de estacionamento, instalações
portuárias ou para aeródromos (exceto os da posição 86.08).
8704.
-"Dumpers" concebidos para serem utilizados fora de rodovias
10
8704. --De peso em carga máxima superior a 5 toneladas, mas não superior a 20
22 toneladas
8704. --De peso em carga máxima superior a 20 toneladas
23
8704.
--De peso em carga máxima superior a 5 toneladas
32
Veículos automóveis para usos especiais (por exemplo, auto-socorros,
caminhões-guindastes, veículos de combate a incêndio, caminhões-betoneiras,
87.05 veículos para varrer, veículos para espalhar, veículos-oficinas, veículos
radiológicos), exceto os concebidos principalmente para transporte de pessoas
ou de mercadorias.
Veículos automóveis sem dispositivo de elevação, dos tipos utilizados em
fábricas, armazéns, portos ou aeroportos, para transporte de mercadorias a
87.09
curtas distâncias; carros-tratores dos tipos utilizados nas estações ferroviárias,
suas partes






Read more!

Resolução regulamenta decreto que reduz ICMS para diversas mercadorias

A Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro (SEFAZ) publicou, no dia 19 de fevereiro, a Resolução nº 193, que regulamenta o artigo 3º do Decreto 41.557/2008.

Este decreto, que dispõe sobre a concessão de tratamento tributário especial para estabelecimentos industriais, reduziu para 12% o ICMS de diversas mercadorias de fabricantes localizados no estado do Rio de Janeiro, sendo 1% (um por cento) destinado ao Fundo Estadual de Combate à Pobreza e às Desigualdades Sociais (FECP).

Esta regulamentação era aguardada pelos Sindicatos do Fórum de Metal Mecânica do Sistema FIRJAN. Confira a lista de mercadorias (arquivo PDF - 40 Kb) contempladas pela resolução.



Read more!

Empresas Juniores - Instituições parceiras do IEL - FIRJAN

Instituições parceiras do IEL

* IEL Nacional
* SEBRAE
* CNPq
* FAPERJ
* COPPEAD - COPPE

Universidades...

* UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro
* UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro
* UFF - Universidade Federal Fluminense
* UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
* PUC-Rio - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
* CEFET-RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca
* UCB - Universidade Castelo Branco
* UCP - Universidade Católica de Petrópolis
* Universidade Cândido Mendes
* UGF - Universidade Gama Filho
* UNESA - Universidade Estácio de Sá
* UNIGRANRIO - Universidade do Grande Rio
* UNIG - Universidade de Nova Iguaçu
* UNIRIO - Universidade do Rio de Janeiro
* USU - Universidade Santa Úrsula
* USS - Universidade Severino Sombra
* UVA - Universidade Veiga de Almeida
* UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense

Institutos de Pesquisa

* CENPES - Centro de Pesquisas da Petrobrás
* CEPEL - Centros de Pesquisas de Energia Elétrica
* CETEM - Centros de Tecnologia Mineral
* CETIQT - Centro de Tecnologia de Indústria Química e Têxtil
* INT - Instituto Nacional de Tecnologia
* IPEI - Instituto de Pesquisas e Estudos Industriais
* INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
* EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
* Bio-Rio - Fundação Bio-Rio
* FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz
* LNCC - Laboratório Nacional de Computação Científica
* IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Incubadoras de Empresas

*

Incubadeira e Pólo Tecnológico da Fundação BIO-RIO
*

Incubadora de Empresas de Teleinformática do CEFET/RJ – IETI
*

Incubadora da COPPE/UFRJ
*

ITCP - Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares
*

Iniciativa Jovem
*

Incubadora de Empresas do Inmetro
*

Incubadora do INT
*

Incubadora de Cooperativas de Macaé-RJ
*

Incubadora Tecnológica Gênesis da PUC-RIO
*

Incubadora Cultural Gênesis da PUC-Rio
*

Incubadora Social
*

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica SENAC Rio
*

Incubadora de Empresas UCP
*

Incubadora da UFF
*

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica do ND2TEC - UERJ
*

Incubadora de Empresas Phoenix - UERJ
*

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica em Agronegócios da UFRRJ
*

Incubadora de Empresas da UVA


Empresas Júniores

* Ação Júnior
* Agro Júnior - Associação Agropecuária Empresarial Rural Júnior
* Analítica Pesquisa e Consultoria
* Ayra Consultoria
* CEFET Jr Consultoria em Administração e Engenharia
* Centro Empresa Júnior
* Economus Consultoria Júnior
* EJCM (Empresa Júnior de Consultoria em Microinformática)
* Empresa Jr. UCP - Inovação
* Empresa Júnior
* Empresa Júnior - Consultoria e Desenvolvimento
* Empresa Júnior PUC-Rio
* ESPM Jr Consultoria de Marketing
* Ética Empresa Júnior de Engenharia de Produção da UERJ
* Flora Júnior- Empresa Júnior de Engenharia Florestal
* Fluxo Consultoria
* Gama Júnior Downtown
* Hidros Consultoria
* IBMEC Jr. Consultoria
* Informarka
* Iniciativa Júnior
* Mega Consultoria
* Meta Consultoria
* MultiConsultoria
* Opção Consultoria
* Pacto Consultoria
* Estácio Jr
* São José Jr.
* Solução Estatística Júnior
* Única Consultoria Júnior
* Unijunior

Apoio ao Empreendedorismo

* AIESEC



Read more!

Empresas Juniores

Empresas juniores são empresas constituídas em Universidades, totalmente geridas pelos estudantes, que vão buscar no mercado projetos de consultoria, nos quais atuam sob a orientação de professores. Suas atividades não têm fins lucrativos, visam o exercício profissional do estudante, e seus serviços são voltados para a pequena e média empresa.

A Empresa Júnior possibilita à empresa-cliente uma opção de serviço de qualidade a um custo mais baixo.

Através de parcerias com Universidades, o IEL apóia e orienta a formação de novas empresas juniores em todo o estado.

Mais Informações: ligue (21) 2563-4193 ou envie um e-mail para iel@firjan.org.br.



Read more!

Programa Bolsas IEL- Apex de Apoio ao Comércio Exterior

As Bolsas de Apoio ao Desenvolvimento de Comércio Exterior nas Micro e Pequenas Empresas resultam de uma parceria entre a CNI, o IEL, e a Apex e contribuem para estabelecer ações integradas entre estas e as Universidades. A principal finalidade é propiciar a atuação de estudantes universitários em micro e pequenas empresas para que estes apresentem resultados que aumentem a competitividade e fortaleçam as empresas em um mercado globalizado com ações de gestão de comércio exterior e de promoção comercial. Com duração de um ano, as Bolsas exigem a participação de um professor orientador na condução das ações do estudante juntamente com o empresário, que identificará a principal demanda da empresa.

Além dos benefícios financeiros, a bolsa apresenta várias vantagens. Para os estudantes, possibilita enriquecimento acadêmico e pode significar uma abertura para o mercado de trabalho. Para os professores, é uma possibilidade de trabalhar no setor produtivo e de divulgar seu trabalho. E, para as empresas, simboliza a resolução de questões deficientes em curto prazo e com baixo custo, além de ser uma oportunidade de aumentar sua competitividade.

Mais Informações:
Instituto Euvaldo Lodi - IEL/RJ
Telefone: (21) 2563-4187 / 2563-4206
E-mail: iel@firjan.org.br



Read more!

Finep disponibiliza R$ 450 milhões para inovação tecnológica nas empresas

Empresas que queiram concorrer aos recursos não-reembolsáveis da Subvenção Econômica 2009, lançada pela Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia (Finep) em janeiro, têm até o dia 27 de março de 2009 para enviar suas propostas de projetos inovadores. Para esclarecer dúvidas sobre as instruções do edital, a Finep publicou, no início de março, respostas às perguntas mais frequentes (arquivo PDF – 144 Kb).

O edital de Subvenção Econômica 2009 (arquivo PDF – 232 Kb) continua disponível no site da Finep. O Núcleo de Atendimento a Projetos de Inovação Tecnológica do Sistema FIRJAN preparou um Manual (arquivo PDF – 415 Kb) para auxiliar as empresas que desejam se candidatar ao edital.

Ao todo, a Finep disponibilizará R$ 450 milhões para o desenvolvimento de projetos de empresas de qualquer porte, distribuídos em seis áreas estratégicas: Tecnologias da Informação e Comunicação; Biotecnologia; Saúde; Programas Estratégicos; Energia; e Desenvolvimento Social.

O valor mínimo de cada projeto é de R$ 500 mil (micro ou pequena empresa) ou de R$ 1 milhão (média ou grande empresa), com prazo de execução de 36 meses. A contrapartida financeira e/ou não financeira ficará entre 5% e 20% do valor solicitado à Finep, no caso de empresas menores, e entre 100% e 200% para empresas de médio e grande porte.

Outras informações podem ser obtidas com o Núcleo de Inovação do Sistema FIRJAN, pelo e-mail inovacao@firjan.org.br.



Read more!

WORKSHOP NOVA ECONOMIA - Soluções e Oportunidades na Crise

A primeira parte do Programa de Re-significação Sindical capacitou os sindicatos para promoverem o associativismo, dando-lhes o impulso para assumirem um novo papel perante o seu setor.
A nova economia diz respeito a um modo diferente de olhar o mercado, criando oportunidades até então não existentes, ou ainda inexploradas, como um dos caminhos para enfrentar o momento de crise econômica mundial.
Para uma nova indústria é preciso ir além: a nova economia se constitui em uma grande oportunidade para que os sindicatos possam garantir sua sustentabilidade, atraindo novos associados e criando novos serviços.Este é o Sindicato para a Nova Indústria .

Programa:

14h: Palestra com o economista Ignacy Sachs
16h00- 18h: Workshop Nova Economia - IEL/RS e UNISINOS

INSCRIÇÕES GRATUITAS. vagas limitadas.

envie email para o endereço confirma.iel@ielrs.org.br, com nome, emrpresa/instituição, telefone e email de contato.



Data: 31/03/2009
Horário: 14H ÀS 18 HORAS
Local: SEDE DO SISTEMA FIERGS - ESPAÇO COMPET



Read more!

IEL promove palestra sobre gestão de terceiros

19/3/2009 - Com o objetivo de traçar um panorama atual da terceirização, estabelecendo os riscos e oportunidades, o Sistema FIERGS, por meio do Programa de Educação Empresarial do Instituto Euvaldo Lodi, promove a palestra Gestão de Terceiros, dia 25 de março, as 13h20 na sede da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Av. Assis Brasil, 8787 − Porto Alegre). O evento também vai analisar como a Justiça do Trabalho define e limita a terceirização com base na Súmula 331 do Tribunal Superior do Trabalho e avaliar os projetos de lei em discussão no Congresso Nacional que propõem a regulamentação da terceirização.

A palestra, que tem entrada gratuita, será do diretor da Saratt Gestão de Serviços, Adriano Dutra da Silveira. Especialista da área, ele é coautor dos livros: "Quarteirização: Redefinindo a Terceirização", "Um Passo além da Terceirização: A Transferência de Atividades e Tecnologia", "Empregabilidade na Gestão de Serviços e Gestão Plena da Terceirização", lançado em agosto do ano passado.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas diretamente pelo site: http://www.ielrs.org.br/evento




Read more!

Rodada de negócios internacional foi realizada na Expodireto Cotrijal 2009

16/3/2009 - A Rodada de Negócios GreenTech Expodireto Cotrijal 2009, uma ação estratégica para impulsionar as exportações gaúchas, será realizada de 17 a 19 de março, durante a Feira Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque. Estão confirmadas 19 empresas provenientes da América Latina e Europa. O evento é resultado de uma parceria entre a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), o Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Cotrijal.

Ao todo serão promovidas em torno de 400 reuniões de negócios entre compradores da Nicarágua, Bolívia, Colômbia, Peru, Panamá, Venezuela, Argentina, Alemanha, Polônia e Hungria com potenciais fornecedores do Estado. Os produtos negociados serão máquinas, equipamentos e implementos agrícolas de pré-colheita e pós-colheita.

Na edição do ano passado, segundo a Cotrijal, a Feira recebeu mais de 150 mil visitantes e teve 313 expositores. O município de Não-Me-Toque, sede do evento, fica localizado a 300 quilômetros da capital gaúcha.





Read more!

Negócios internacionais crescem na Expodireto

20/3/2009 - A Expodireto, em Não-Me-Toque, encerrou nesta sexta-feira em clima de otimismo entre os 325 expositores, distribuídos pelos 84 hectares do parque de exposições da Cooperativa Agropecuária e Industrial. Além de empresários de diversos Estados, representantes de vários países estiveram no Planalto Médio gaúcho para ver o que há de mais moderno em máquinas, equipamentos e implementos agrícolas, além de técnicas de plantio e manejo.

Ao todo foram promovidas cerca de 400 reuniões de negócios entre compradores da Nicarágua, Bolívia, Colômbia, Peru, Panamá, Venezuela, Argentina, Alemanha, Polônia e Hungria com potenciais fornecedores do Estado. "Estes encontros possibilitaram mais de R$ 1,6 milhão em negócios, um acréscimo de 27% em relação a 2008, com destaque para os países da América Latina", disse o presidente Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), Cláudio Bier...

Provenientes da América Latina e Europa, 19 empresas participaram da Rodada de Negócios GreenTech Expodireto Cotrijal 2009. O encontro foi resultado de uma parceria entre a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS), o Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Cooperativa Agropecuária e Industrial (Cotrijal).



Read more!

Programa Texbrasil auxilia exportador do setor têxtil

19/3/2009 - Empresários gaúchos do setor têxtil participaram nesta quarta-feira (18), na FIERGS, da apresentação do Programa Estratégico da Cadeia Têxtil Brasileira (Texbrasil), desenvolvido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Segundo o diretor do Programa Texbrasil, Rafael Cervone Netto, a cadeia brasileira do segmento, por ser talentosa, criativa e com capacidade de produção, é bem conceituada, mas tem ainda muito a crescer no País que é o sexto maior produtor têxtil do mundo...

No ano passado, o faturamento interno da indústria do setor correspondeu a US$ 41,3 bilhões, enquanto as exportações alcançaram apenas US$ 2,3 bilhões. São 30 mil empresas no País. "O Texbrasil foi criado para fomentar as exportações brasileiras e auxiliar na inserção das nossas empresas no exterior, sem custos ao empresário que aderir ao programa", explicou Cervone.
Para o diretor técnico da Abit, Frederico Bernardo, é preciso se conscientizar que o processo de capacitação para a exportação é longo, mas que no final os resultados são compensadores. Bernardo se diz um otimista, pois mesmo diante da crise internacional surgem as oportunidades. "Temos um mercado interno poderoso", destaca, salientando também as alternativas externas que podem ser exploradas fora dos tradicionais países compradores.

O evento foi realizado pela FIERGS, por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN-RS), e a Abit.




Read more!

Banco da Amazônia e governo do Estado assinam Protocolo de Intenções em encontro na FIERO

Com o objetivo de implementar ações que possibilitem o desenvolvimento sustentável do Estado de Rondônia foi realizado na manhã desta sexta-feira (20) no Salão de Convenções da Casa da Indústria de Porto Velho o encontro “Perspectivas de Negócios Sustentáveis para a Amazônia”. Na ocasião, foi assinado entre presidente do Banco da Amazônia Abdias José de Souza Júnior e o governador de Rondônia Ivo Cassol, um protocolo de Intenções, ao lançar o Plano de Aplicação dos Recursos do FNO e o Plano Estadual de Aplicação dos Recursos para 2009.

Na cerimônia de abertura, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO) Denis Roberto Baú, destacou a importância da assinatura do termo de cooperação. Segundo Baú, “o Estado passa por um momento de crescimento industrial nunca vivido antes”. Para ele, será necessária ainda a aplicação de outras ações com o objetivo de oferecer a classe industrial, estrutura para acompanhar o desenvolvimento da região...

Ainda em seu discurso, Denis Baú sugeriu ao Banco da Amazônia a extensão de postos de atendimento para dar celeridade na tomada de decisões e no encaminhamento dos processos de investimento da indústria no Estado. O presidente aproveitou a oportunidade e pediu ao Banco da Amazônia o apoio no projeto “Saída para o Pacífico” que visa o escoamento de produtos para os países andinos. “O projeto irá alavancar o crescimento de toda indústria rondoniense” afirmou o presidente da FIERO.

Abdias José de Souza Júnior, presidente do Banco da Amazônia, por sua vez, ressaltou a importância dos investimentos em Rondônia, devido ao acelerado crescimento que o Estado tem vivido. Ele destacou ainda as parcerias já feitas com a FIERO e anunciou a construção de quatro novas agências em Rondônia, distribuídas em Porto Velho, Pimenta Bueno, Jaru e Extrema. Segundo o presidente, o banco atende atualmente 95% dos municípios da região Norte e 83% de todos os recursos de fomento aplicados no Estado de Rondônia e na região são praticados via Banco da Amazônia.

O governador Ivo Cassol falou da importância dos investimentos que estão sendo feitos no Estado e aproveitou a oportunidade para pedir ao presidente do Banco da Amazônia, a construção de pelo menos mais seis agências no Estado.

De acordo com Adbias Júnior, o Banco da Amazônia conta com 5,5 bilhões para aplicação em 2009. Desse montante, R$ 2,68 bilhões são recursos do FNO. Para o Estado de Rondônia, serão aplicados mais de oitocentos milhões.

Fonte: UNICOM FIERO
Justificar



Read more!

IEL - Núcleo Regional de Rondônia - Vagas

Curso/Área: Administração

Modalidade: Estágio
Período: Matutino/Vespertino
Descrição da Vaga:
Nº de Vagas: 2
Remuneração: R$ 500,00 reais



Read more!

IEL Santa Catarina - Oferta de Vaga de Estágio

Nível: SUPERIOR DE GRADUAÇÃO
Curso(s): - ADMINISTRAÇÃO COM ÊNFASE EM COMÉRCIO EXTERIOR - RELAÇÕES INTERNACIONAIS
Fase: A PARTIR DO 3º SEMESTRE
Área: ASSESSORIA EM COMÉRCIO EXTERIOR
Bairro: CENTRO - CRICIÚMA
Cidade: CRICIÚMA
Requisitos: CONHECIMENTO MÉDIO: INGLÊS; MICROSOFT OFFICE E INTERNET (CURRÍCULO)
Valor da Bolsa: R$ 300,00
Benefícios: Seguro de acidentes pessoais com reembolso de despesas médico-hospitalares + auxílio transporte
Carga Horária: 22,5 semanais
Data: 13/03/2009
Número da Vaga: 1289-CRI

Nível: SUPERIOR DE GRADUAÇÃO
Curso(s): COMERCIO EXTERIOR / ADMINISTRAÇÃO
Fase: A PARTIR DO 6º PERIODO
Área: IMPORTAÇÃO/EXPORTAÇÃO
Bairro: SALSEIROS/ITAJAÍ
Cidade: ITAJAÍ
Requisitos: CONHECIMENTO EM INFORMATICA NÍVEL MÉDIO E EM TRAMITES DE IMPORTAÇÃO, CONHECIMENTO BASICO EM INGLES E ESPANHOL
Valor da Bolsa: R$:500,00
Benefícios: SEUGURO CONTRA ACIDENTES PESSOAIS E REEMBOLSO DE DESPESAS MÉDICO HOSPITALAR + REFEIÇÃO NO LOCAL DE TRABALHO E AUXILIO TRANSPORTE
Carga Horária: 30H SEMANIS - DAS 9:30H ÀS 16:30H
Data: 06/03/2009
Número da Vaga: 380-ITJ

clique Boa Sorte e veja a relação completa de vagas!



Read more!

IEL SERGIPE - Vagas em aberto

CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO (cadastro reserva)
ÁREA: ADMINISTRATIVA
PERFIL DESEJADO: Nível Médio Completo; Conhecimento em informática. Possuir boa comunicação, pro atividade e facilidade em lidar com o publico. Experiência em atividade administrativa e operacional da área.

CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO (cadastro reserva)
ÁREA: ADMINISTRATIVA
PERFIL DESEJADO: Nível Médio Completo e/ou Cursando Administração ou Ciências Contabeis. Ter Conhecimento em informática. Possuir boa comunicação, pro atividade e facilidade em lidar com o publico. Experiência em atividade administrativa e operacional da área.

CARGO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO
ÁREA: ADMINISTRATIVA
PERFIL DESEJADO: Ensino Superior Incompleto em Administraçao ou Pedagogia. Ter Dominio em informática, noções de planejamento, orçamento e elaboração de projetos, controle e organizaçao de dados. Possuir boa comunicação, raciocinio logico e analitico, agilidade nas respostas, pro-ativo, cominicativo....


CARGO: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO (cadastro reserva)
ÁREA: ADMINISTRATIVA
PERFIL DESEJADO (1): Nível Médio Completo; e/ou Cursando Nivel Superior em Contabilidade ou Administração. Dominio em Informática. PERFIL DESEJADO (2): Nivel Médio Completo e/ou Cursando Nivel Superior

CARGO: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO (cadastro reserva)

ÁREA: FINANCEIRA
PERFIL DESEJADO: Nível Médio Completo e ou cursando nivel superior em Administração ou Economia; Dominio em informática, Raciocinio Logico e Analitico. Possuir bom relacionamento interpessoal, proatividade.

CARGO: TÉCNICO DE NÍVEL SUPERIOR (cadastro reserva)
ÁREA: EDUCAÇÃO
PERFIL DESEJADO: Profissional em nível Superior Completo em Licenciatura: História, Espanhol, Matemática, Português-Literatura/Redação, Biologia, Física, Inglês, Geografia, Química. Conhecimento na Elaboração de Plano de Ensino, Facilidade conhecimentos em lidar com alunos, Coordenação e Direção, informática básica.

CARGO: TÉCNICO DE NIVEL SUPERIOR (cadastro reserva)
ÁREA: EDUCAÇÃO
PERFIL DESEJADO: Nível Superior Completo em Educação Física.

CARGO: TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR (cadastro reserva)
ÁREA: EDUCACÃO
PERFIL DESEJADO: Profissional formada em Pedagogia. Ter domínio em informática conhecimento em projetos educacionais e legislação educacional.

CARGO: TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR (cadastro reserva)
ÁREA: EDUCACÃO
PERFIL DESEJADO: Profissional formada em Pedagogia e /ou especialização em educação.Experiência em gestão e análise critica. Conhecimento em atividades escolares.

CARGO: TÉCNICO NÍVEL MÉDIO (cadastro reserva)
ÁREA: ADMNISTRATIVA
PERFIL DESEJADO: Nivel Medio Completo. Conhecimento em atividades escolares.

CARGO: TÉCNICO NÍVEL MÉDIO (cadastro reserva)
AREA: TECNICO DE ENFERMAGEM DO TRABALHO
PERFIL DESEJADO: Nivel Medio Completo - Curso de Técnico em Enfermagem do Trabalho, ter registro no Corem.

CARGO: TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR (cadastro reserva)
ÁREA: SAÚDE
PERFIL DESEJADO: Nivel Superior Completo em Odontologia.

CARGO:TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR
ÁREA: SAUDE OCUPACIONAL
PERFIL DESEJADO: Profissional com ensino Superior Completo em Engenharia Civil, Arquitetura e ou Especialização em Segurançado Trabalho. Ter experiência em gestão e análise critica de processos, experiência na elaboração de PPRA, LTCAT, CIPA, conhecimento na área de treinamento, palestras e em informática especialmente Autocad, Internet e Office.Conhecimento em atividade administrativa e operacional da área.

CARGO:TÉCNICO NÍVEL SUPERIOR
ÁREA: MARKETING
PERFIL DESEJADO: Profissional com Ensino Superior em Administração, Marketing (Preferencialmente com Especialidade ou Especialização em Marketing, Vendas ou Negocios). Experiência na aréa de vendas consultivas, atendimento ao cliente e informática básica (Excel, Power Point, Word).

Cargo: Instrutor
ÁREA: ELETRICIDADE
PERFIL DESEJADO: Profissional com Ensino Médio Técnico em Eletrotécnica.

ÁREA: SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO
PERFIL DESEJADO (1): Nível médio completo – Possuir curso técnico em segurança do trabalho, experiência em sala de aula e conhecimento em NR 10, CIPA, e Espaços de Conflitos PERFIL DESEJADO (2): Nivel Superior Completo - Curso na área de Segurança e Saúde no Trabalho - Nível médio completo – Possuir curso técnico em segurança do trabalho, experiência em sala de aula e conhecimento em NR 10, CIPA, e Espaços de Conflitos. PERFIL DESEJADO (3): Nivel Superior Completo - Possuir habilitação na área de Segurança e Saúde no Trabalho, experiência em sala de aula e conhecimento em prevenção e controle de perdas e tecnicas de uso de equipamentos de medição. PERFIL DESEJADO (4): Nivel Superior Completo - Possuir habilitação na área de Saúde e Segurança no trabalho, com experiência em sala de aula, conhecimento em prevenção e combate a sinistro, formação e brigada de incêndio e resgate em altura. PERFIL DESEJADO (4): Nivel Medio Completo - Curso técnico em Segurança e Saúde no trabalho, experiência em sala de aula e conhecimento em MUNK, GRUA e PONTE ROLANTE. PERFIL DESEJADO (5): Nivel Superior Completo - Possuir habilitaçãona área de Segurança e Saúde no Trabalho/Educação Física, domínio em Ergonomia.

ÁREA: ENGENHARIA CIVIL
PERFIL DESEJADO: Profissional com Nível Superior em Engenharia Civil, conhecimentos: em tecnologia de Processos Construtivos, dos materiais, equipamentos e ferramentas da construção civil, conhecer o processo de manutenção preventiva, corretiva, preditiva predial, normas técnicas e fontes de pesquisas ligadas a construção civil: racionalização dos processos produtivos da construção civil; inglês básico e tecnologia da informática.

ÁREA: ENGENHARIA CIVIL (cadastro reserva)
PERFIL DESEJADO: Profissional Cursando Nível Superior em Engenharia Civil, conhecimentos: em mecânica de solos, propriedades físicas do solo, adensamento do solo, tensões do solo. Compactação, classificação, amostragem so solo.

ÁREA: ENGENHARIA ELÉTRICA/PETRÓLEO E GÁS
PERFIL DESEJADO: Profissional com Nível Superior em Engenharia Elétrico ou Técnico em Instrumentação.

ÁREA: ENGENHARIA ELÉTRICA/ELETROMECÂNICA PERFIL DESEJADO (1): Profissional de nivel superior em engenharia elétrica ou eletromecânica. PERFIL DESEJADO (2): Ensino Medio Completo/ Técnico em Eletro-Mecânica ou Mecânica

ÁREA: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
PERFIL DESEJADO (1): Nível Superior ou Nível técnico em informática com conhecimento em MS PROJECT (cadastro reserva)
PERFIL DESEJADO (2): Nivel Superior Completo em Sistema da Informação; Ciências da Computação; Administração com Ênfase em Análise de Sistemas ou áreas afins com especialização na área de informática.

ÁREA: CONSTRUÇÃO CIVIL (cadastro reserva)
PERFIL DESEJADO: Nível Superior Completo em Engenharia civil/ Ensino Médio Completo/ Técnico em Edificações / Construções Prediais com experiência em canteiros de Obras e Alvenaria.

ÁREA: METAL-MECANICA
PERFIL DESEJADO: Profissional de Nível Médio/Técnico em Metal Mecânica, cursos de qualificação e aperfeiçoamento relacionados à área.

ÁREA: METAL-MECANICA
PERFIL DESEJADO: Profissional de Nível Médio/Conhecimentos em Soldagem TIG/Soldagem/Eletrodo Revestido.

ÁREA: AUTOMAÇÃO
PERFIL DESEJADO: Técnico em Eletrônica/ Eletroeletrônica ou Técnica em Instrumentação. Cursos de qualificação e aperfeiçoamento relacionados à área.


ÁREA: ALIMENTOS (cadastro reserva)
PERFIL DESEJADO: Curso Superior concluído na área de Alimentos, ou Nutrição. Conhecimento em informática e Curso de qualificação e aperfeiçoamento em plano APPCC e ou formação de consultor do PAS indústria.

ÁREA: ELETROELETRÔNICA
PERFIL DESEJADO: Técnico em Eletroeletrônica. Cursos de qualificação relacionados a área.

ÁREA: AUTOMOTIVA
PERFIL DESEJADO: Técnico em Mecânica. Cursos de qualificação e aperfeiçoamento relacionados à área.

ÁREA: ENGENHARIA MECÂNICA
PERFIL DESEJADO: Profissional de nível superior em Engenharia Mecânica ou Especialista em Petróleo e Gás.

ÁREA: TRANSPORTES (cadastro reserva)
PERFIL DESEJADO: Profissional de Nível Médio, Curso MOPP e ou Direção Defensiva.

ÁREA: GESTÃO
PERFIL DESEJADO: Nivel Superior Completo em Administraçao de Empresa. Possuir conhecimento em Gestão de Pessoas, Gestão de Processos, Relacionamento Interpessoal, Gestão da Qualidade , Empreendedorismo, Administração Geral e Marketing.

ÁREA:TEXTIL E VESTUARIO (cadastro reserva)
PERFIL DESEJADO (1): Conhecimento em modelagem industrial (masculino e feminino), lingerie, moda praia, moda intima. Conhecimento em máquinas de Costura Industrial e em PCP. Experiência em sala de aula.

ÁREA:TEXTIL E VESTUARIO

PERFIL DESEJADO (2): Nivel Médio Completo - dominioe conhecimento em mecânica de mecânica de manutenção de máquinas de Costura Industrial, conhecimento em PCP.

ÁREA: BIBLIOTECA (cadastro reserva)

PERFIL DESEJADO: Nivel Superior Completo em Biblioteconomia

OBS: Informamos que existem vagas onde a admissão não será imediata, os currículos enviados farão parte do cadastro reserva. Cadastrar o curriculo até o dia 20/11/2008 para concorrer às vagas em aberto.



Read more!

Feira: IX SEMANA DA INDÚSTRIA CALÇADISTA CATARINENSE

Feira: IX SEMANA DA INDÚSTRIA CALÇADISTA CATARINENSE
Data: 28/04/2009 a 30/04/2009
Horário: 14h às 22h
Local: Centro Empresarial - Av. Egídio Manuel Cordeiro. - São João Batista | SC
http://www.sincasjb.com.br/?p=eventos-detalhe&id=12


Feira de Máquinas, materiais e componentes para calçados.

Contato: (48) 3265 0393 / 3265 2529




Read more!

Feira/Missão: Missão Empresarial Brasileira à Alemanha 2009

Feira/Missão: Missão Empresarial Brasileira à Alemanha 2009
Data: 17/04/2009 a 26/04/2009
Horário: 09:00 às 18:00
Local: Deutsche Messe Hannover - Hannover - Alemanha
http://www.hannovermesse.com

Feira Industrial de Hannover

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC, articula por meio do Centro Internacional de Negócios - CIN, a Missão Empresarial Brasileira à Alemanha 2009, liderada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul e em parceria com a Confederação Nacional da Indústria - CNI.
Trata-se da maior feira multisetorial do mundo, reunindo anualmente cerca de 6.000 expositores, 200.000 visitantes, e apresentando produtos e novidades provenientes de aproximadamente 100 países.

Produtos e Serviços expostos:...

Interkama, automação industrial, automação de instalações industriais, transmissão de força e controle, indústria digital, subcontratação, energia, energia eólica, tecnologia em tubulação (pipeline), tecnologia para usinas de energia, tecnologia de ar comprimido e à vácuo, tecnologia de superfície, micro e nano tecnologia.

INSCRIÇÕES E INFORMAÇÕES

Centro Internacional de Negócios - CIN | Tel: (48) 3231 4651 | Fax: (48) 3231 4669
E-mail: cin@fiescnet.com.br | Site: www.fiescnet.com.br/cin | Até 16 de março





Read more!

Desova de estoques mundiais está aniquilando a indústria brasileira

Se alguma dúvida havia quanto ao Brasil estar se tornando "valeta de desova" dos excedentes mundiais de calçados, os fatos acabam de derrubá-la.

Os números das importações de janeiro divulgados pela SECEX mostram que em janeiro as importações de calçados e suas partes tiveram um novo aumento explosivo: os US$ 37,4 milhões importados este ano representam um crescimento de 35% sobre janeiro de 2.008 e de 214% sobre janeiro de 2.007.

Isto depois de as importações de dezembro já ter registrado um aumento de 48% sobre dezembro de um ano antes.

É notável o valor absoluto das importações. Janeiro é um dos meses mais fracos de vendas para a indústria de calçados, apesar disto o valor das importações é superior a qualquer mês do ano passado; mesmo em outubro - um dos meses mais fortes para as vendas da indústria - as importações haviam sido de US$ 33,2 milhões e em novembro de US$25,9 milhões...

O fato é ainda mais grave quando está em curso processo de investigação sobre a prática de dumping pelos exportadores chineses, responsáveis por mais de 85% do total de pares importados pelo Brasil. Em dezembro a SECEX publicou portaria dando início ao processo de investigação baseada na constatação preliminar de que havia dano à indústria nacional e prática de dumping com a expressiva margem de 435,7%. Este fato leva a crer que os importadores estariam formando estoques diante da iminente imposição de tarifa anti-dumping.

Enquanto perduram tais práticas de comércio desleal, a indústria nacional definha.
De outubro a dezembro a indústria de calçados perdeu 42 mil empregos com carteira assinada, 29 mil deles apenas em dezembro. As perdas representam 12,5% dos 336 mil trabalhadores diretos da indústria em setembro último.

A ABICALÇADOS vem, há algum tempo, alertando quanto a este movimento de desova de excedentes mundiais de estoques no mercado interno brasileiro. As grandes empresas mundiais de calçados, que dominam grande parte do comércio internacional, vêem-se às voltas com estoques inadministráveis, em razão da forte queda de consumo nos Estados Unidos e na Europa. É evidente que a desova destes excedentes somente pode ser feita em países de grande mercado interno e que sejam abastecidos substancialmente pela indústria local. É nestes dois quesitos que o Brasil se encaixa com primor e por isto tem sido eleito como "valeta de desova" preferencial.

Os números de queda no emprego preocupam não apenas pela sua expressão, mas, sobretudo, pela sua composição. Há uma grande concentração de demissões em São Paulo e em Minas Gerais, além do Rio Grande do Sul, estados que abrigam, sobretudo, as pequenas e médias empresas.

Parece que as grandes empresas instaladas principalmente no Nordeste, mais estruturadas e com maior acesso ao crédito, conseguiram, até o momento, contornar as demissões com programas de férias coletivas, mas este paliativo está se esgotando e os níveis de estoques que tais empresas vêm acumulando aumentam nossas preocupações quanto ao comportamento do emprego nos meses futuros.


Os técnicos do MDIC estão procedendo a uma análise detalhada das importações da China para a confirmação da prática de dumping e imposição de tarifas compensatórias. Do sucesso desta investigação dependerá, em grande parte, o desempenho futuro da indústria brasileira de calçados.

Milton Cardoso
Presidente da ABICALÇADOS




Read more!

8ª RODADA NACIONAL E INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS DA MODA CALÇADISTA DE SÃO JOÃO BATISTA

Evento: 8ª RODADA NACIONAL E INTERNACIONAL DE NEGÓCIOS DA MODA CALÇADISTA DE SÃO JOÃO BATISTA
Data: 27/05/2009 a 29/05/2009
Horário: 10h às 19h
Local: Centro Empresarial - Av. Egídio Manuel Cordeiro. - São João Batista
http://www.sincasjb.com.br/
Lançamento Primavera/Verão 2009 da Moda Calçadista de São João Batista.
Contato: (48) 3265 0393 / 3265 2529.
comercial@sincasjb.com.br



Read more!

II Sergipe Export será realizado em Julho

Com o objetivo de planejar a realização e detalhar a estratégia para o II Sergipe Export, a Comissão de Comércio Exterior do Estado reuniu-se na Federação das Indústrias, oportunidade em que definiu a linha mestra de temas para o evento.

Inicialmente realizado em 2007, ano do boom exportador sergipano que alcançou à época, pela primeira vez, os 100 milhões de dólares, o seminário foi considerado um sucesso, inclusive apresentando investidas exportadoras de empresários sergipanos, que à época conquistaram o mercado árabe, com cosméticos fabricados em Estância...

Segundo a coordenadora do Centro Internacional de Negócios da FIES, Cristina Rocha, este ano responsável pela coordenação e preparação do evento que foi agendado para julho, o objetivo principal é divulgar a cultura exportadora e para isso “serão realizadas palestras que abordarão as atualidades da área, além de uma série de cursos relacionados com o tema” , explica.

A proposta é direcionada a um público especifico, ou seja, empresários, instituições de apoio ao Comércio Exterior, pesquisadores da área, estudantes e interessados em geral.

O evento promete, diz a Coordenadora do CIN/FIES: “até para quem não tem experiência em Comércio Exterior será possível aprender muito. A programação consolida o Sergipe Export, apresentado aos interessados informações técnicas atualizadas, casos de sucesso e cursos”

Segundo Cristina a comercialização internacional de produtos ainda esbarra em diversos fatores, mas o principal deles é, sem dúvidas, a ausência de informação. “Existem empresários que não querem internacionalizar seus produtos, outros tem vontade, mas não sabem por onde começar, outros ainda acreditam ser impossível exportar pois são empresas de pequeno e médio portes. Todas essas dúvidas serão sanadas durante o evento e o empresariado sergipano vai perceber que exportar não é tão difícil quanto se imagina.” Explica a coordenadora.




Read more!

Resultado da pesquisa