16 de mar de 2009

Primeiro dia da GDS é marcado por boa visitaçao ao estande brasileiro

Düsseldorf/Alemanha – Os expositores brasileiros estão positivamente surpresos com o bom movimento registrado nos estandes no primeiro dia da GDS – feira calçadista alemã que começou nesta sexta-feira (13) e segue até 15, na cidade de Düsseldorf. O fato de ser uma feira que lança as coleções de inverno, somado à baixa visitação registrada da Micam, feira italiana que ocorreu poucos dias antes, não estava alimentando esperanças de bons negócios. No entanto, diversas marcas que estão no estande coletivo do Brazilian Footwear não só estiveram com seus espaços lotados o dia todo como também fecharam pedidos. “A movimentação realmente foi muito boa hoje. Não estávamos esperando”, assinalou Caroline Venceleski, assessora de marketing do Brazilian Footwear e responsável pela participação dos fabricantes nacionais na mostra.

Conforme Magale Kich, do departamento de exportação da Ramarim (Nova Hartz/RS), a feira de inverno, que usualmente é mas fraca para os brasileiros, está melhor do que a última edição de setembro. “A feira está muito boa. É surpreendente”, comemora. Embora só tenha recebido clientes tradicionais, sem um único novo contato no primeiro dia, ela fechou diversos pedidos de compradores que quase não vão ao Brasil. “Com a recessão, creio que muitos compradores também estão optando por ir somente onde já possuem contatos. Temos um cliente que optou por vir só na GDS”, sustenta.

Para a Bical (Birigui/SP) a surpresa foi a mesma. Conforme Hudson Rigolin Jr., o primeiro dia ultrapassou muito as perspectivas da empresa, que já vislumbra o fechamento de negócios e também novos contatos. Ele argumenta que as exportações da empresa caíram este ano, se comparadas ao mesmo período do ano passado. “Mesmo com o dólar em um patamar mais alto, que gera preços mais competitivos, o comprador internacional diminuiu muito as negociações em função da turbulência nos mercados”, apontou.

“Não fechamos nenhum pedido ainda, mas recebemos muitas visitas de clientes mais antigos, o que está dentro das perspectivas que tínhamos para a feira”, sublinhou Charles Werb, da Bottero (Parobé/RS). “A feira de setembro já tinha melhorado muito em relação às anteriores, e a edição de março está seguindo no mesmo ritmo de melhora.” Conforme Werb, as exportações da Bottero já caíram cerca de 30% este ano.

O Brazilian Footwear é o Programa de Apoio às Exportaçoes desenvolvido pela Associaçao Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), em parceria com a Agência Brasileira de Promoçao às Exportaçoes e Investimentos (Apex-Brasil).

Indústria alemã propõe novos conceitos

“O que nós precisamos hoje são idéias e novos conceitos”, sentenciou o diretor da associação alemã das indústrias de calçados, Ralph Rieker, na coletiva de imprensa realizada hoje (13), na abertura da feira. Ele argumentou que o ano de 2009 não será fácil para os produtores alemães, visto que muitas indústrias já estão paradas em função da recessão mundial. “A feira de negócios é um ambiente perfeito para a exportação e indústria, provavelmente nós nunca precisamos da GDS tanto quanto agora”, declarou.

Mesmo com uma redução de 3% em número de expositores em relação ao último evento, em setembro, a mostra calçadista se propõe a ser a chave para a transformação do setor, assumindo também a posição de fórum setorial. “Mais do que antes, a GDS oferece todas as formas de negócios e oferece fortes plataformas, não somente para informações de negócios, mas também sobre as últimas tendências e até como geradora de novas tendências”, disse a diretora do evento, Kirstin Deutelmoser.
Caren Souza
Assessora de Comunicação Abicalçados/Brazilian Footwear
caren@abicalcados.com.br


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa