22 de abr de 2009

Técnicos angolanos são treinados em recursos humanos

Técnicos angolanos são treinados em recursos humanos
As ações decorrentes do Memorando de Entendimento firmado entre a Embrapa e o Ministério da Agricultura de Angola, para promover a cooperação técnica, intercâmbio de informações entre os centros de
pesquisa e também treinamentos de curta duração, estão a todo vapor.

Na área de capacitação de recursos humanos, começou no dia 15 e vai até o dia 29 de abril, em Brasília, o Curso de Gestão de Recursos Humanos para
a pesquisa agropecuária, com apoio do Departamento de Gestão de Pessoas (DGP).

Estão sendo capacitados 14 técnicos de institutos de pesquisa vinculados ao Ministério da Agricultura de Angola. Na programação, tópicos como “Contexto da gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos nas
Organizações”, “Investigação Agrária”, “As Pessoas nas Organizações”, “Administração de Recursos Humanos nas Organizações” e “Provisão, Manutenção, Formação, Desenvolvimento e Monitoração de Recursos
Humanos”, além de visitas técnicas e palestras. A segunda parte do treinamento será realizada daqui a dois meses, na capital angolana (Luanda)...

A parceria entre Embrapa e Angola envolve, basicamente, compartilhar conhecimentos científicos e tecnológicos, transferência de tecnologia, intercâmbio de material genético e, principalmente, desenvolvimento institucional e de recursos humanos.

O começo de tudo

Diagnóstico realizado em Angola detectou a necessidade de maiores investimentos em pesquisa para impulsionar o desenvolvimento agrário do país. Constatou-se a falta de recursos humanos, de infraestrutura adequada e de pesquisas que atendessem às demandas dos produtores rurais.

Surgiu, assim, a necessidade de estabelecer parcerias. Para isso, chegou-se à conclusão que se deveria
levar a cabo uma reestruturação da pesquisa agropecuária em Angola, seguindo o modelo da Embrapa, a qual, no seu início, há 36 anos, seguiu
o melhor modelo disponível entre os países desenvolvidos nesta área.

A Embrapa constitui hoje uma organização comprovadamente eficaz na área da agricultura tropical e sub-tropical, estando capacitada portanto a ajudar a Angola.

O modelo da Embrapa em Angola

Seguindo o modelo adotado pela Embrapa, a nova estrutura contará com 16 centros de pesquisa. Distribuídos em regiões estratégicas, quatro destes centros já serão implantados em 2009, com apoio da Embrapa. O primeiro deles será onde hoje se situa a
Estação Experimental Agrícola de Chianga, em Huambo, e será dedicado à pesquisa de milho e feijão.

Outros três centros, que serão localizados
nas províncias de Malanje e Kwanza Sul, estarão encarrregados de mandioca, batata-doce e amendoim, caprinos e ovinos e gado de leite.

Flávia Bessa - MTb 4469/DF
Assessoria de Comunicação Social
Contatos: 61 3448 4568


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa