8 de abr de 2009

Pólo de confecção e moda no Amapá consolida parcerias

Ações planejadas para o triênio 2009/2011 são apresentadas hoje a empreendedores do pólo produtivo que abrange a capital do Estado, Macapá, e o município de Santana

Macapá - Nesta quarta-feira (8), até as 17 horas, o Sebrae no Amapá realiza uma reunião para validar as propostas estabelecidas entre público alvo e parceiros do Projeto Confecção e Moda em Macapá e Santana, capital do Estado e município vizinho, respectivamente. Participa do encontro a coordenadora nacional da Carteira de Têxtil e Confecções do Sebrae Nacional, Francisca Pontes.

Segundo o gestor do Projeto Confecção e Moda em Macapá e Santana, André Gomes, serão apresentadas aos empreendedores envolvidos no projeto as ações planejadas para o triênio 2009/2011, que terá a contribuição de vários parceiros. Essas ações foram estabelecidas conforme análise das dificuldades enfrentadas pelos empresários do setor e as parcerias serão de grande importância para alavancar o segmento. “Esse é um projeto ousado para desenvolvimento do setor, para isso contamos com o apoio de importantes entidades”, disse o gestor.

São parceiras as seguintes entidades: Sesi, Senai, Federação das Indústrias do Estado do Amapá, Fundação Bradesco, Secretária de Estado de Inclusão e Mobilização Social, Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Mineração, Centro de Ensino Superior do Amapá, Agência de Fomento do Amapá, Serviço Social de Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest-Senat), Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo, Secretaria de Estado da Educação, Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico do Estado do Amapá, Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia, Prefeitura Municipal de Macapá, Secretaria Municipal de Educação, Prefeitura municipal de Santana, Secretaria Municipal de Educação em Santana, Secretaria de Estado do Turismo e Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/AP).

Serviço:
Sebrae no Amapá - (96) 3312-2832
Meu comentário:
Esta é uma das iniciativas mais importantes já desenvolvidas pelo governo federal e abraçada pelos estaduais. Os pólos industrias representam a possibilidade para que o micro, pequeno e médio empresário possa ter acesso à uma infra-estrutura de produtos e serviços até então disponível apenas aos grandes grupos graças aos seus próprios recursos. Nunca o conceito de "união fazendo a força" ficou tão patente como nestes projetos. Todas as ações são discutidas de maneira a beneficiar todo o grupo, assim como, a solução dos problemas é feita de forma integrada, já que na maioria das vezes, estes problemas são comuns entre empresas do mesmo ramo. Um dos detalhes importantes do projeto é seu baixo custo individual, contra um enorme retorno através de seminários, planos personalizados, participação em feiras e inúmeras outras atividades desenvolvidas dentro dos pólos. Não poderíamos deixar de mencionar as possibilidades de inserção no mercado externo, já que uma das estratégias desenvolvidas está voltada para esta área, ensinando aos empresários os quais são os primeiros passos rumo ao mercado externo. A valorização do trabalho desenvolvido nas cooperativas também merece destaque. Enfim, trata-se de uma iniciativa que só deve crescer no país.

0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa