27 de mar de 2009

Taboa vira fonte de renda para artesãos do Espírito Santo

Associação de Artesãos de Guarapari, criada há dois anos, é escolhida pelo Sebrae como uma das 100 melhores unidades do País

Rio de Janeiro - Da taboa, abundante na lagoa Mãe Ba, artesãos de Guarapari, no Espírito Santo, retiram seu sustento. A fibra, antes desprezada, hoje é usada na fabricação de mais de 270 itens como bolsas, souplats, carteiras e cachepots. Escolhida como uma das 100 melhores unidades produtivas do País no prêmio Top 100 de Artesanato, do Sebrae, os 22 membros da associação comemoram a conquista.

“Fomos pegos de surpresa. Todo mundo almejava o Top 100, mas ninguém esperava que pudéssemos conseguir com apenas dois anos de trabalho”, festeja o presidente da Associação dos Artesãos do Núcleo de Artesanato em Taboa, César Weslley Conti Nunes.

O grupo foi estruturado com a ajuda do Sebrae e da filial da Samarco Mineração. “Ninguém tinha trabalho por aqui, então a mineradora nos ajudou com um programa de geração de renda”, explica.

De outubro a dezembro de 2006, os artesãos fizeram cursos no Sebrae e logo receberam a primeira encomenda da empresa para fazer quatro mil caixinhas de 7 x 7. “Acho que eles queriam ver se a gente tinha aprendido”, brinca Conti.

Em março, o grupo foi surpreendido mais uma vez com outro pedido de duas mil caixas, desta vez da sede da Samarco em Belo Horizonte. Foi a partir daí que os artesãos se deram conta de que era preciso investir ainda mais no conhecimento.

“Percebemos que o negócio não ia só ficar daquele jeito. Aí, fizemos uma reunião para discutir o que fazer. Para não ficar marcando passo e ter um negócio rentável, decidimos parar tudo. Procuramos o Sebrae e, durante três meses, fizemos todos os cursos possíveis”, explica Nunes.

Enquanto aprendiam design, formação de preços, associativismo, cooperativismo, marketing e artesanato, os artesãos entraram com pedido para formalizar a associação. Com a ajuda do Sebrae, “parceiro de primeira hora”, reforça Nunes, os artesãos começaram a participar de feiras e exposições. Hoje, o grupo vende para oito estados.

Orgulhoso da trajetória, o presidente da Associação conta que, em setembro passado, o grupo ficou em segundo lugar em um concurso internacional de saúde e sustentabilidade realizado na Austrália, onde concorreram com 280 países.

O crescimento da associação também beneficia outros profissionais como serralheiros e sapateiros. “Hoje, temos mais de 150 pessoas envolvidas com o nosso trabalho”, diz Nunes. Preocupados com a qualidade, ele conta ainda que toda a produção passa por uma análise rigorosa. “Qualquer peça mal acabada é rejeitada”, reforça.

“Agora, quando recebemos a notícia de que fomos escolhidos pelo Top 100, ficamos ainda mais emocionados e certos de que estamos fazendo direito o nosso trabalho. Mas já falei para o pessoal: chegar foi difícil, mas agora precisamos trabalhar ainda mais para permanecer”, diz Nunes.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 2107-9138 e 2107-9362 www.agenciasebrae.com.br
Associação dos Artesãos do Núcleo de Artesaanto em Taboa - (28) 3536 5170


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa