27 de mar de 2009

Árabes buscam negócios no Ceará

Traders do Egito e da Jordânia participam hoje de encontros em Fortaleza em busca de alimentos e artesanato. Compradores de 14 países foram convidados para o 13º Encontro de Negócios do Nordeste.
Marina Sarruf marina.sarruf@anba.com.br
São Paulo – Entre as empresas de 14 países que vão participar das rodadas de negócios do 13º Encontro Internacional de Negócios do Nordeste, que começam hoje (26) em Fortaleza, no Ceará, estão as tradings Jordan Br, da Jordânia, e a Bragito, do Egito. Ambas buscam alimentos e artesanato produzidos pelas micro e pequenas empresas cearenses...

O evento, que segue até amanhã (27), é promovido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Ceará (Sebrae/CE) e vai ter a participação de 160 empresas e associações do estado que já têm uma agenda de encontros com os compradores internacionais. Segundo informações do Sebrae/CE, o objetivo do evento é abrir novos mercados para as pequenas empresas da região.

As duas empresas árabes que participam do evento já têm representações no Brasil. No caso da Bragito, que importa e exporta soja, milho, carne, café e frutas, a companhia tem um escritório em São Carlos, em Santa Catarina.

Além dos árabes, o evento vai contar com a participação de empresas do Chile, Paraguai, Peru, Senegal, Cabo Verde, Alemanha, Suíça, Espanha, França, Portugal, Costa Rica e China. Os setores que serão apresentados aos compradores internacionais são os de alimentos, bebidas, artesanato, cosméticos, floricultura, moda praia, íntima e casual.

Apesar da crise mundial, o Sebrae/CE espera que os encontros movimentem R$ 30 milhões em negócios para as empresas do estado, o mesmo valor gerado no ano passado. Além de negócios, a organização acredita que o evento será uma oportunidade para as micro e pequenas mostrarem o potencial das empresas cearenses.

No ano passado, as exportações do estado para a Liga Árabe (formada por 22 países árabes) renderam US$ 17,65 milhões, o que representou um crescimento de 21% em relação a 2007. Os principais produtos embarcados foram castanha de caju, calçados de borracha, equipamentos de cozinha, tecidos e máquinas de costura. Por outro lado, as importações cearenses do mercado árabe somaram US$ 345, 24 mil em 2008, contra US$ 86 mil em 2007. Fios de plástico (monofios), mármores e circuitos integrados foram os produtos árabes mais importados pelo estado.



0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa