6 de abr de 2009

Líbia recebe primeiro contêiner da Grendene

O carregamento com os calçados brasileiros deve chegar ao país árabe no final do mês. O representante da empresa está promovendo as sandálias femininas e masculinas na Feira de Trípoli.
Marina Sarruf marina.sarruf@anba.com.br
São Paulo – Até o final do mês, as lojas de calçados da Líbia devem começar a vender as sandálias brasileiras da Grendene. O primeiro contêiner dos calçados femininos, masculinos e infantis chega neste mês e, para promover a marca no país, o representante local da empresa, Mohamed Salah, está participando da Feira Internacional de Trípoli, que conta com um estande da Câmara de Comércio Árabe Brasileira.

Salah tem 17 lojas de calçados na Líbia e está em negociação com a empresa brasileira desde o ano passado. No estande da Câmara Árabe, estão expostas sandálias das linhas Rider, masculina; Grendha e Ipanema, femininas. Segundo ele, a idéia é expandir a marca brasileira, que ainda é pouco conhecida nos países do Norte África, no mercado líbio. Até o momento, nessa região, a marca brasileira tem representantes no Egito, Tunísia e Argélia.

A Grendene, com sede no Rio Grande do Sul, tem uma produção de 500 mil pares por dia e já exporta para nove países árabes. No total, a empresa exporta para 90 países. Os maiores mercados de destino estão nos Estados Unidos, Canadá, países da América Latina e Europa. De acordo com o assistente de marketing da Câmara Árabe, Filipe Gouveia Ferraz, na sexta-feira, primeiro dia da feira aberto ao público, muitos curiosos pararam no estande para olhar as sandálias brasileiras.

Filipe Ferraz/Câmara Árabe Filipe Ferraz/Câmara Árabe

Moraes, da Latinex (E), conversa com visitante da Feira de Trípoli
Além dos calçados, o estande está expondo alimentos enlatados e embalados a vácuo, como carnes e vegetais. Os produtos, que são produzidos pelas empresas Oderich e Vapza, estão sendo representados pela trading Latinex. Segundo o trader Eduardo Moraes, a empresa está apostando na venda de comida pronta para serviços de alimentação, como hotéis, restaurantes e empresas de catering.

Atualmente, no mercado árabe, a Latinex exporta para Líbia e Síria e está em negociação com a Argélia. “Estamos investindo bastante para ampliar os negócios com os árabes”, disse Moraes, que terá reuniões com grandes empresas alimentícias na Líbia esta semana.

A feira, que começou quinta-feira (02) e segue até o dia 12, é multissetorial. Na última edição, o evento contou com a participação de mais de 1,5 mil empresas de 37 países. De acordo com Ferraz, o estande da Câmara Árabe tem recebido muitos visitantes da própria Líbia e de outros países do Norte da África, a maioria busca alimentos, como carnes, café, açúcar, arroz, além de maquinários pesados. “O Brasil chama muita atenção dos visitantes, não só pelos produtos que estão sendo expostos, mas apenas por ser um estande do Brasil”, afirmou.
fonte: CCAB


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa