6 de abr de 2009

Empresários chineses conhecem o potencial econômico do Pará

Portos e Navios

O secretário Maurílio Monteiro mostrou aos empresários chineses toda a infraestrutura disponível no Pará para receber grandes empreendimentos

A delegação disse que veio estreitar as relações entre Pará e China, iniciadas com a viagem da governadora paraense àquele país, em 2008

Infraestrutura, logística, vantagens comparativas para exportação e o potencial dos recursos naturais do Pará foram os principais pontos abordados nos encontros que aconteceram na manhã desta quinta-feira (2), entre a delegação da República Popular da China com representantes do governo do Estado e empresários locais.

Com o secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, Maurílio Monteiro, na sede da Sedect, os chineses foram informados que a atividade florestal paraense terá um grande avanço nos próximos meses, já que o governo leiloará, em breve, 150 mil hectares de áreas públicas para exploração de floresta primária...

Também estarão disponíveis pelo menos 4 milhões de metros cúbicos de madeira certificada, oriundos de áreas privadas de manejo florestal, e a União oferecerá 4 milhões de hectares para manejo florestal.

Isenção fiscal - "O governo do Pará ampliou, recentemente, a lista de equipamentos que podem ser adquiridos com isenção de impostos pelas indústrias do setor florestal", informou Maurílio Monteiro. "E o governo federal também isenta de impostos 75% da produção do setor, destinados à exportação", acrescentou.

O secretário destacou ainda os grandes investimentos em infraestrutura no Pará, feitos pelos governos estadual e federal, incluindo a área portuária. "Temos certeza de que vocês retornarão dessa viagem com grandes perspectivas de negócios, inclusive na áreas metal-mecânica e siderúrgica", ressaltou Maurílio Monteiro.

O deputado chinês Huang Youming, da Província de Sichuan - a segunda maior da China, com 70 milhões de habitantes - informou que, em breve, o Pará se tornará província-irmã de Sichuan. "A governadora Ana Júlia foi à China, agora viemos aqui; tudo se encaminha da forma exigida para que celebramos intercâmbios de cooperação não apenas comerciais e econômicos, mas também em setores como cultura e esportes", disse o deputado, que também é diretor do Escritório de Assuntos Internacionais do Governo de Sichuan.

Indústria madeireira - O encontro da delegação chinesa com os empresários paraenses foi na sede da Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa). O presidente da Associação das Indústrias Exportadoras de Madeira do Estado do Pará (Aimex), Justiniano Netto, fez uma longa exposição sobre o setor florestal no Pará.

Ele destacou que o Pará tem grande competitividade no setor, e que a China ganharia muito com as parcerias, ao observar que "aqui temos conhecimento de manejo (aspectos como demarcação de terras, o corte certo para evitar desperdício, o tamanho e a espécie das árvores) e também um grande potencial de reflorestamento".

Justiniano Netto disse ainda que o Pará tem um parque industrial competitivo, assegurando a constante melhoria na qualidade dos produtos e novos mercados, além de a produção ser bastante diversificada.

Participaram da reunião na Fiepa representantes da Federação das Indústrias, da Associação de Empresas Importadoras e Exportadores (Abed), da Aimex e das empresas Braxcomp, Trasam, Rosa Madeireira, Nordisk e Grupo Cikel.

Montadora - Na última segunda-feira (30) outra comitiva de empresários chineses, representando o setor siderúrgico, visitou autoridades e empresários paraenses e manifestou a intenção de instalar, no Brasil, uma montadora, o que pode acontecer no Pará.

Na ocasião, o secretário Maurílio Monteiro lembrou que, com os investimentos estruturais no Pará, hoje as empresas que aqui se instalarem já terão a ganhar com toda essa estrutura.

"Qualquer empreendimento que se instale em Marabá, por exemplo, no sudeste do Estado, já estará se beneficiando de obras como a conclusão das duas eclusas de Tucuruí (que vão restituir a navegabilidade ao rio Tocantins no ponto de construção da hidrelétrica); a hidrovia do Tocantins; a construção de um porto público em Marabá; a ampliação do porto de Vila do Conde, em Barcarena, e dos investimentos que o governo do Estado faz em cinco distritos industriais, inclusive o de Marabá", garantiu Maurílio Monteiro.

A presença em território paraense das duas comitivas chinesas resulta dos esforços do governo do Pará em estreitar relações comerciais com a China, o que incluiu uma visita da governadora Ana Júlia Carepa e de empresários paraenses àquele país em novembro de 2008. (Fonte: Agência Pará)


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa