18 de mar de 2009

Embratur promove destinos brasileiros em Dubai

A entidade vai participar pela terceira vez da Emirates Holidays World, feira de turismo que ocorre em maio, com o objetivo de divulgar o Brasil para profissionais do setor da Ásia e Oriente Médio.
Marina Sarruf marina.sarruf@anba.com.br

São Paulo – Para atrair mais turistas árabes ao Brasil, o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) vai divulgar o país na Emirates Holidays World, feira de turismo que será realizada em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, em maio. Essa vai ser a terceira participação brasileira no evento. “O mercado árabe para nós é muito importante”, afirmou o diretor de Turismo de Negócios e Eventos da Embratur, Marcelo Pedrosa.

A feira, que é organizada pela Emirates Holidays, empresa de comercialização de pacotes turísticos que pertence à companhia aérea Emirates Airline, reúne mais de 400 agentes de viagens que têm a oportunidade de divulgar seus destinos turísticos. No caso do Brasil, representantes de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Amazonas e Paraná deverão participar do evento. “Todos esses destinos já estão no catálogo da Emirates Holidays”, disse Pedrosa.

De acordo com ele, a Embratur passou a participar da feira desde o início dos vôos diretos da Emirates ao Brasil, em 2007. O público, a maioria agentes e operadores de viagens, é de vários países, principalmente Ásia e Oriente Médio. “Nossa atuação nesse mercado está focada em função do vôo da Emirates”, disse Pedrosa. O diretor aposta também na vinda de turistas árabes por vôos da África do Sul e da Turquia, pela Turkish Airlines, que deve começar a operar em São Paulo em abril.

“Em curto prazo não vamos ter uma grande quantidade de vôos diretos da região, mas podemos trabalhar com conexões e vôos de regiões próximas”, afirmou Pedrosa. Segundo ele, a Emirates está bem satisfeita com a ocupação da rota Dubai-São Paulo. “A idéia é intensificar nossa participação nesse mercado e gerar cada vez mais volume [de passageiros]”, acrescentou.

Além do Emirates Holidays, a Embratur já participou de outros eventos de turismo nos Emirados, como a feira Arabian Travel Market (ATM) e o World Travel & Tourism Council Summit (WTCC), no ano passado. Deste último, a presidente da Embratur, Jeanine Pires, participou. Ele reúne investidores do setor e este ano vai ocorrer em Florianópolis, capital de Santa Catarina. “Existem muitas oportunidades de investimentos em infraestrutura no Brasil. O país oferece uma maior segurança agora, principalmente no setor imobiliário”, afirmou o diretor.

De acordo com ele, o Brasil está se colocando entre as principais economias de turismo e, com a Copa de 2014, que o país vai sediar, novas demandas de investimentos irão surgir. Pedrosa deu as declarações ontem (17), no 7º Fórum Panrotas.

Companhias aéreas

O fórum contou também com a participação das companhias aéreas. Apesar da crise, as empresas brasileiras devem continuar investindo neste ano. De acordo com o presidente da TAM, David Barioni Neto, a meta da companhia em 2009 é abrir uma nova rota para Johannesburgo, na África do Sul; fechar o ano com 132 aeronaves em operação; e continuar com planos de investimentos até 2018 de US$ 6,9 bilhões. Já o presidente da Webjet, Wagner Ferreira, acredita num crescimento de 5% na demanda doméstica neste ano.

Divulgação Divulgação

Presidentes de empresas aéreas dizem que investimentos continuam
Para o presidente da Azul, Pedro Janot, a companhia espera encerrar o ano com 1,8 milhão de passageiros transportados e continuar com o plano de investimentos de US$ 600 milhões para o Brasil em 2009. O presidente da Trip, José Maio Capriollo, também garantiu que os planos da empresa de investir US$ 200 milhões este ano em novos equipamentos serão mantidos. “Seria imprudente não continuar investindo”, afirmou.

No caso da Gol, o presidente da companhia, Constantino de Oliveira Júnior, acredita que fechar as contas este ano será difícil, principalmente porque a programação de investimentos em encomendas de aviões é feita com antecedência e é difícil cancelar pedidos por conta da mudança do cenário econômico. Apesar disso, o executivo afirmou que a empresa deve fechar o ano com 108 aeronaves, contra 104 no ano passado.

Copa

O ministro do Turismo, Luiz Barreto, que também participou do fórum, aposta na Copa do Mundo de 2014 para melhorar a qualidade do setor no Brasil. “A Copa é uma das maiores oportunidades de exposição do Brasil para o mundo”, afirmou.

A meta do ministério é chegar em 2014 com 65 destinos brasileiros altamente qualificados para atender os turistas. “Será um grande desafio”, afirmou Barreto, que em janeiro, assinou um convênio com a Fundação Roberto Marinho para qualificação de 80 mil pessoas para o setor turístico.

Com relação à crise internacional, o ministro afirmou que o país deve manter o pé no chão. “A crise financeira nos obriga a viver com o pó no chão. Com a queda do PIB no último trimestre de 2008, estão sendo reavaliadas as projeções de crescimento da economia para 2009”, disse.

Apesar disso, no setor de turismo, o ministro afirmou que o Brasil vem ganhando posições. Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial, no que se refere à competitividade e atratividade turística, o Brasil está posicionado em primeiro lugar na América do Sul, em segundo na América Latina e em quinto no ranking das Américas. Já nos estudos de maiores economias do turismo do WTTC, o país subiu da 14ª posição, em 2008, para 13ª este ano.

Além disso, o turismo de negócios no país também vem crescendo, representando hoje 30% do volume dos turistas que vêm ao Brasil. Em 2007, o turismo gerou receitas de US$ 39 bilhões, o que representou 2,6% do PIB. “É a quinta pauta das exportações brasileiras. É uma indústria muito forte que movimenta muito a economia”, disse o ministro.

De acordo com ele, na atual conjuntura o turismo interno cresceu, e este ano o ministério aposta num aumento maior ainda nesse mercado. “São quase 100 milhões de brasileiros participando do mercado de consumo”, afirmou.


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa