23 de abr de 2009

Embrapa produz cogumelos com técnica chinesa

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia promove entre os dias 19 e 23 de maio, em Brasília, um curso sobre cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais.
A instituição brasileira está usando uma técnica chinesa que pode popularizar o cultivo de cogumelos no Brasil: o método reduz custos e simplifica o processo de produção. Atualmente, cada brasileiro come 30g ao ano, enquanto na França, por exemplo, o consumo é de 2kg/ano.

A pesquisadora Arailde Urben conheceu o método em 1995, em uma visita à China. Desde lá, tem trabalhado para adaptar a técnica para o Brasil, conhecida como Jun-cao...

"Jun quer dizer fungo. Cao quer dizer capim, gramínea. Então essa técnica de uso de capim como principal componente barateia, considerando que os outros substratos de cultivo são toras ou serragem. Usar madeira fica muito mais caro do que plantar capim", explicou Arailde.
A empresa possui hoje um banco de material genético de 329 espécies de diferentes linhagens.

Antes, é preciso fazer o substrato, juntando capim, farelo de arroz e gesso agrícola. Nessa mistura os fungos são introduzidos um a um. Os substratos vão para uma câmara úmida, onde a temperatura fica entre 25 e 27 graus, e a umidade, entre 80 e 90%. Em poucos dias, os cogumelos começam a dar os primeiros sinais de vida.

Todo o local é preparado para gerar e manter a umidade e, aos poucos, os cogumelos vão crescendo. A pesquisadora acredita que um processo tão simples precisa ser mais utilizado.

"Considerando que a carne bovina tem 14% de proteína, e o cogumelo champignon tem até 34%, 46%, então só você comendo um pouco do cogumelo por dia é suficiente. Você tem proteína suficiente para o seu organismo", concluiu a pesquisadora.

O limite de vagas para o curso é de 50 participantes, mas no dia 23 de maio (sábado), as palestras da parte da manhã serão abertas ao público. O curso será na sede da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, que fica no Parque Estação Biológica (final da Avenida W5 Norte), em frente à Câmara Legislativa.


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa