3 de abr de 2009

Brasil mostra sua indústria na Líbia

Na Feira Internacional de Trípoli, empresas brasileiras e a Câmara Árabe vão apresentar produtos da indústria nacional, como alimentos, calçados e têxteis. A mostra começa hoje.

São Paulo – O Brasil vai mostrar o potencial da sua indústria a partir de hoje (02) ao mercado líbio. A Câmara de Comércio Árabe Brasileira vai apresentar produtos brasileiros dos setores de alimentos, calçados, têxtil e médico-hospitalar na Feira Internacional de Trípoli, capital da Líbia, que começa nesta quinta-feira e segue até o dia 12 deste mês. O evento, que é mulstissetorial, está na 38ª edição...

Uma das empresas presentes no estande da Câmara Árabe será a Latinex, trading de alimentos, que exporta biscoitos para o país árabe. O trader Eduardo Moraes espera encontrar novos clientes e aumentar as vendas para a região. Outra empresa será a Grendene, fabricante de calçados, que terá um representante local da companhia no estande para promover principalmente as sandálias das marcas Grendha e Ipanema.

No estande da Câmara Árabe, os assistentes de Comércio Exterior, André Caserta, e de Marketing, Filipe Ferraz, vão atender os empresários árabes e auxiliar os brasileiros. Material promocional de empresas e associações brasileiras vão ser distribuídos. De acordo com Caserta, os setores brasileiros mais promissores no mercado líbio são os de construção, maquinários, alimentos, bens de consumo, infraestrutura e telecomunicações.

No ano passado, as exportações brasileiras para a Líbia renderam US$ 373 milhões, o que representou um aumento de 56% em relação a 2007. Minério de ferro, carne bovina, açúcar, gás buteno, milho, granito e café foram os principais produtos embarcados em 2008. Já as importações brasileiras da Líbia no ano passado somaram US$ 1,4 bilhão contra US$ 997,6 milhões em 2007. Petróleo e naftas para petroquímica são os maiores responsáveis pelo déficit - para o Brasil - na balança comercial entre os dois países.

A última edição da Feira Internacional de Trípoli contou com a participação de mais de 1,5 mil empresas de 37 países. Hoje e amanhã, a feira é destinada apenas para empresários e a partir de sábado é aberta ao público. Paralelamente ao evento, o presidente da Câmara Árabe, Salim Schahin, terá uma série de encontros com autoridades e empresários locais.
fonte: CCAB

0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa