23 de mar de 2009

Exportação de sucos do Pará bate recorde em janeiro

Esse resultado superou os três primeiros meses de 2008, que somaram 2,9 milhões de dólares. A informação está no último boletim divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior.

O desempenho confirma a vocação do Estado para a fruticultura e, a cada ano, o Pará se firma como um dos mais importantes produtores de frutas e de sucos para a exportação do país. De 2004 até 2008, houve um crescimento de 160% nas exportações e, só no ano passado, o aumento foi de 57,68%. Na pauta de exportação do agronegócio paraense, os sucos estão em 7º lugar e as frutas em 9º. No ano passado, os sucos alcançaram o patamar de 23,5 milhões de dólares e as frutas 12,3 milhões de dólares, totalizando 35,9 milhões de dólares...

A área plantada, que hoje é de 257.425 hectares, cresceu 62% nos últimos dez anos. Nesse período, as culturas que mais se destacaram foram abacaxi, banana, cacau e o açaí, que hoje é o carro chefe das exportações na área da fruticultura, responsável por 90% das exportações. Em 2007, a produção da fruta, muito apreciada pelo seu poder energético, foi de 495 mil toneladas e, em 2008, passou para 581 mil toneladas, o que representa um aumento de quase 20%. Os maiores compradores de sucos do Pará são Estados Unidos, Países Baixos e Japão; e das frutas, incluindo a castanha do Pará, são Estados Unidos, Austrália e Hong Kong.

Para incentivar o aumento da produção e atender os mercados nacional e internacional, a Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), por meio do Programa Campo Cidadão, firmou uma série de convênios no valor total de R$ 2,1 milhões no setor da fruticultura. Os recursos financiaram a compra de materiais e equipamentos para agroindústrias, a capacitação de produtores, realização de eventos como a Frutal Amazônia e a produção de mudas e sementes selecionadas, que foi a atividade que recebeu maior incentivo. Agricultores de 30 municípios foram beneficiados.

O convênio com a Embrapa Amazônia Oriental, no valor de R$ 202 mil, proporcionou a produção de fruteiras selecionadas, como o açaí do tipo BRS-Pará e o clone de cupuaçuzeiros e sementes provenientes desses clones, resistentes às doenças. Foram implantados campos de multiplicação de sementes em Terra Alta, Tomé-Açu e Belém. A Sagri repassou aos produtores 100 mil sementes de cupuaçu clonal e 3 toneladas de açaí BRS-Pará, que podem produzir 2 milhões de mudas de açaizeiros. Para 2009, está previsto o repasse para os agricultores de mais 100 mil sementes de cupuaçu e 6 toneladas de açaí, que poderão produzir 4 milhões de mudas e sementes.

O Plano Safra é outra fonte de recursos para o financiamento da produção agropecuária do Estado. São cerca de R$ 670 milhões provenientes do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf). Foram cadastradas 35 mil famílias, das quais 4.400 vão plantar frutas, especialmente açaí e cacau, em dez regiões de integração do Pará. Os projetos estão em fase de apreciação para qualificação do crédito nos Bancos do Brasil e da Amazônia. A aplicação dos recursos será a partir de junho deste ano, de acordo com o calendário agrícola.

A Frutal Amazônia tem participação importante nesses resultados, na medida em que se tornou, nos últimos três anos, a vitrine dos produtos da região e espaço de capacitação dos produtores. O evento se transforma num grande centro de negócios e transferência de tecnologias, que melhoram a qualidade da produção a cada safra. No ano passado, foram comercializados durante o evento R$ 31 milhões. Neste ano, a IV Frutal Amazônia e IX Flor Pará serão realizadas de 25 a 28 de junho no Hangar. O lançamento será no dia 18, às 10 horas, no auditório da Sagri.



0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa