23 de mar de 2009

Grupo Selmi começa a exportar para o Golfo

Após contatos na Gulfood, feira de alimentos de Dubai, a indústria alimentícia vai exportar mistura para bolo e macarrão para os Emirados. Outros países da região também negociam com a empresa.
Marina Sarruf marina.sarruf@anba.com.br
São Paulo – A indústria alimentícia Selmi, de São Paulo, acaba de abrir um novo mercado: o Golfo. Essa semana, 200 caixas de mistura para bolo serão embarcadas para os Emirados Árabes Unidos e até o final de abril mais dois contêineres com 20 toneladas de macarrão, bolo pronto e mistura seguem para o mesmo destino. O contato foi realizado na Gulfood, feira de alimentos realizada em Dubai, em fevereiro...

A pressa é tanta, que o primeiro embarque de misturas para bolo da marca Renata será aéreo. Segundo a gerente de exportação da Selmi, Nancy Cristina Gonzales, o restante será embarcado por via marítima. Todos os produtos foram com etiquetas no idioma árabe a pedido do importador. Além dos Emirados, a empresa está em negociação com compradores da Arábia Saudita, Iraque, Barhein, Catar, Omã, Kuwait e Jordânia. “Provavelmente devemos fechar negócios nos próximos meses”, afirmou Nancy.

De acordo com ela, todos os contatos foram realizados nas últimas duas edições da Gulfood e do evento Sabores do Brasil, realizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), também realizado em fevereiro, em Dubai. “A feira (Gulfood) de 2008 já tinha sido muito positiva e a desse ano foi excelente. Está dando muito resultado”, disse Nancy. “Com esse mercado, a gente sente que a negociação é mais lenta”, acrescentou.

Mesmo com as dificuldades da distância, idioma e cultura, Nancy afirmou que os produtos da Selmi tiveram uma boa aceitação no mercado. “É um mercado potencial para a empresa e temos muito interesse em continuar trabalhando com ele, pois temos boas perspectivas”, afirmou. Segundo ela, entre os países árabes, a empresa já exporta para Líbia e Marrocos, no Norte da África. No total, a Selmi está presente em cerca de 20 países, tendo na África e na América Latina os principais mercados.

Mercado externo

Apesar da empresa estar no mercado há 120 anos, o trabalho de desenvolvimento de mercado externo começou há quatro anos, mas foi entre 2007 e 2008 que os embarques internacionais passaram a ser constantes. De acordo com Nancy, o macarrão, em termos de volume, é o produto mais exportado. Da produção da empresa, 3% é destinado para fora do Brasil.

Com duas fábricas, uma em Sumaré, interior de São Paulo, e outra em Londrina, no Paraná, o grupo Selmi produz farinha, massas, queijo ralado, misturas para bolo, bolinhos instantâneos e café. Na unidade em Sumaré, a empresa produz 345 mil quilos por dia de massas; 220 mil quilos/mês de bolos; e 70 mil quilos/dia de farinhas. De farinha, a empresa tem capacidade produtiva instalada para 100 toneladas diárias.

Contato

Grupo Selmi
Site: www.selmi.com.br



0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa