15 de abr de 2009

Paraná exporta menos produtos industrializados

Curitiba - As exportações paranaenses decresceram em valor agregado. De acordo com dados do relatório mensal do desempenho do comércio exterior paranaense, divulgado na última terça-feira (14/4) pelo Departamento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) sobre o grau de elaboração dos produtos exportados, as vendas de produtos manufaturados para o exterior diminuíram 41,09% no comparativo entre o primeiro trimestre deste ano com o mesmo período de 2008. Por outro lado, comparando-se os últimos 12 meses (abril de 2008 a março de 2009) contra os 12 meses imediatamente anteriores (abril de 2007 a março de 2008), o maior aumento se deu nas exportações de produtos básicos (26,36%), ressaltando o perfil do estado de exportador de matéria-prima...

Para o presidente da FIEP, Rodrigo da Rocha Loures, os números revelam que as consequências da crise internacional estão muito presentes na economia estadual e brasileira. "Em função do virtuoso crescimento ocorrido até o terceiro trimestre do ano passado, as conseqüências da crise demoraram a aparecer. Mas os números não deixam dúvidas sobre a intensidade do ajuste. Houve uma clara inflexão, uma mudança de sinal, na trajetória de expansão mundial que vinha nos favorecendo nos últimos anos", declarou ele.

Rocha Loures cobra uma ação mais vigorosa do governo para o restabelecimento do crédito para capital de giro e desoneração tributária dos investimentos e exportações. "Estes são pontos centrais de uma estratégia de enfrentamento da crise. São variáveis que estão sob controle de nossas autoridades", destacou. "Temos vivido de respostas pontuais que não impactam a economia de forma transversal, como seria desejável. Precisamos de uma atuação sistêmica e mais agilidade do governo. A agenda anticrise é também uma agenda de preparação para o futuro", afirmou ele.

“A retração nas exportações de manufaturados é reflexo direto da crise”, afirmou o economista da FIEP, Roberto Zurcher. “O mercado mundial está retraído e os primeiros produtos atingidos são os que exigem maior grau de processamento, especialmente os bens duráveis que são os primeiros que as pessoas deixam de comprar”, comentou, acrescentando que isso para a indústria é muito ruim. “A indústria é o setor da economia mais afetado pela crise”, disse.

Alguns dos gêneros que registraram as maiores quedas no período foram Petróleo e Derivados (-64,92%); Veículos automotores (-51,70%); Madeira (-49,11%); Papel e celulose (-35,03%).

Conforme os dados divulgados no último dia 6 de abril pela FIEP, as exportações paranaenses caíram, no total, 29,06% no primeiro trimestre do ano na comparação com o mesmo período de 2008, apesar da alta de 43,44% no comparativo com fevereiro deste ano. Em relação a março de 2008, também foi registrada queda nas vendas para o exterior, de 22,36%. Trata-se do pior resultado trimestral desde os primeiros três meses de 2006.

O Complexo Soja manteve, no primeiro trimestre do ano, a liderança na participação da pauta de exportações da indústria paranaense. Apesar de registrar uma variação negativa de 24,72% no valor exportado no comparativo do primeiro trimestre deste ano com o mesmo período do ano passado, o grupo de produtos ainda é o primeiro da pauta paranaense, responsável por 23,65% das vendas para o exterior.

Na segunda colocação permanece o grupo de Carnes, com 15,92% da pauta de exportações. Em seguida, Material de Transportes, com 14,95% de participação. Os três grupos, aliado ao grupo de Madeira (6% de participação), são responsáveis por 60,5% das exportações totais das empresas paranaenses. Desses, somente o Complexo Soja apresenta sinais de recuperação nas exportações nos primeiros meses do ano, com os demais apresentando tendências de queda.

Dentre os 15 principais grupos de produtos exportados pela indústria do Paraná, apenas dois apresentaram aumento em relação ao primeiro trimestre de 2008: Açúcares e Produtos de Confeitaria, que cresceu 70,76% e passou a ocupar o quarto lugar na pauta de exportações (6,21% de participação), e Cereais, que aumentou em 23,33% suas exportações, ocupando a quinta colocação na pauta de exportações, com 5,53% de participação.

A pauta de importações também sofreu alterações significativas nos primeiros três meses do ano. Dois dos três grupos de produtos mais importados pelas empresas paranaenses registraram diminuição no volume de compras: Produtos Químicos (18,98% de participação) reduziu em 44,70% as importações e Petróleo e Derivados (13,08% de participação) diminuiu em 55,70% seu volume de compras. Nas importações por categoria de uso, março registrou um aumento significativo de compras de máquinas de elevado valor, o que fez com que a importação de bens de capital aumentasse em 2.462,69% em relação a fevereiro. No comparativo entre os primeiros trimestres de 2009 com 2008, entretanto, a importação desse gênero de categoria de uso diminuiu 4,46%. No total, o Paraná reduziu suas importações em 34,21% no comparativo entre os primeiros três meses de 2009 em relação ao mesmo período do ano passado.

Fonte: FIEP



0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa