15 de abr de 2009

Exportações de couros somaram US$ 228 milhões no primeiro trimestre

As exportações brasileiras de couros no primeiro trimestre do ano somaram US$ 228 milhões, contabilizando redução de 57% da receita apurada no acumulado anterior, segundo dados elaborados pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), com base no balanço da Secretaria de Comércio Exterior, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. “A redução de 57% nas exportações de couro, nos três primeiros meses de 2009, continua sendo conseqüência da crise financeira que afetou a economia americana e se espalhou mundialmente a partir do quarto trimestre de 2008”, explica o presidente do CICB, Luiz Bittencourt. Segundo ele, a recessão provocou uma forte queda de demanda, diminuindo a aquisição de diversos produtos e se alastrando a vários elos das cadeias produtivas. Bittencourt acrescenta que a indústria brasileira do couro vem adotando medidas para se adequar ao novo ambiente da economia internacional, objetivando a manutenção dos mercados, contando, para isso, com o estratégico apoio da Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos.
Paraguai e Guatemala aumentam as importações de couro
Em março, os principais destinos do couro brasileiro foram a China e Hong Kong, ambos com US$ 76,11 milhões (33,31% de participação); Itália, com US$ 61,8 milhões (27% de participação); Estados Unidos, US$ 16,3 milhões (7,15%), Vietnã, com US$ 9,65 milhões (4,24%), Alemanha, US$ 8,47 milhões (3,72%) e México, com US$ 7,71 milhões (4%). Neste terceiro mês do ano, o Paraguai foi um dos mercados que mais cresceu (322%), somando US$ 2,31 milhões, além da Guatemala (450%) que importou US$ 37,94 mil. Belarus (ex-República da antiga União Soviética, situada no centro-nordeste da Europa) também foi outro país que aumentou 46,15 vezes as compras do produto nacional, totalizando US$ 20,5 mil. O Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) é uma entidade federativa que representa, há 52 anos, cerca de 800 empresas de produção e processamento de couro. O complexo industrial emprega cerca de 50 mil pessoas, movimenta um PIB estimado em US$ 3,5 bilhões e recolheu impostos da ordem de US$ 1 bilhão em 2007.
Principais estados exportadores
O balanço das vendas externas de couros dos estados brasileiros no terceiro mês do ano, em comparação ao acumulado de 2008, revela que o Rio Grande do Sul retoma a posição de maior exportador nacional (US$ 62 milhões, 27,2% de participação e queda de 55%), seguido por São Paulo (US$ 55,18 milhões, participação de 24,2% e redução de 70%), Ceará (US$ 22,47 milhões, 9,85% e decréscimo de 53%) e Paraná (US$ 21,41 milhões, 9,4%, e diminuição de 24%). Os demais estados são Bahia (US$ 18,13 milhões), Mato Grosso (US$ 13,68 milhões), Goiás (US$ 11,8 milhões), Mato Grosso do Sul (US$ 7,6 milhões) e Minas Gerais (US$ 7,53 milhões).



0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa