17 de abr de 2009

Empresa do Rio vende equipamentos para polícias árabes

A Condor fabrica armas não-letais, como granadas lacrimogêneas e projéteis de borracha, e já exporta para Argélia, Jordânia, Egito e Marrocos. Agora busca novos clientes no mundo árabe.
Isaura Daniel isaura.daniel@anba.com.br
São Paulo – A Condor, fabricante de armas não-letais fluminense, está trabalhando para aumentar as suas vendas para o mercado árabe. A empresa produz equipamentos usados por polícias e forças militares e já exporta para Argélia, Jordânia, Marrocos e Egito, no mundo árabe. De acordo com o gerente de Negócios Internacionais da Condor, Massilon Miranda, a companhia pretende diversificar os seus mercados externos neste ano e isto inclui a entrada em países árabes nos quais os seus produtos ainda não chegaram.

Polícia no Brasil usa armas não-letais Condor
A Condor já conta com representantes em onze países árabes. Além dos quatro para os quais ela exporta, há representantes da marca na Arábia Saudita, Kuwait, Omã, Emirados, Catar, Líbia e Tunísia. Vários já receberam amostras do produto. Atualmente, entre os produtos que a Condor exporta para os árabes estão granadas lacrimogêneas, granadas explosivas não-letais e munições encartuchadas não-letais e lacrimogêneas.

A Argélia já é cliente da Condor há mais de dez anos, a Jordânia há quatro anos, o Egito há cerca de dois anos e o Marrocos importou pela primeira vez no ano passado. Quem usa os equipamentos da empresa, no mundo árabe, são órgãos ligados ao setor de segurança, como polícia, exércitos e departamentos de segurança nacional. O gerente de Negócios Internacionais afirma que a Condor tem um carinho especial pela região porque grande parte dos países já tem bem sedimentado e compreendido o conceito de não-letalidade.

Miranda explica que as armas não-letais são indicadas para situações nas quais a ameaça não justifica o uso do letal, como, por exemplo, manifestações de estudantes. “Quando é necessário agir para manter a ordem e proteger o patrimônio, mas não com excesso de força, com resposta apropriada à ameaça”, afirma o executivo da Condor. No Brasil, entre os usuários dos produtos da indústria carioca estão a Polícia Militar de São Paulo, considerada uma das mais bem preparadas polícias do país.

Entre produtos da Condor estão cartuchos com projéteis de borracha
A Condor tem mais de cem itens em sua linha de produção. Entre eles estão armamentos para munições não-letais, cartuchos com projéteis de borracha, granada lacrimogênea, spray de pimenta, granadas fumígeas – que produzem efeito de fumaça, pirotécnicos como foguete sinalizador para, por exemplo, atividades de socorro de náufragos.

No ano passado a Condor produziu mais de um milhão de peças. A empresa não divulga dados sobre o volume de exportações, mas, segundo Miranda, elas cresceram 300% de 2007 para o ano passado. Para este ano, de acordo com ele, também é esperado crescimento significativo nas vendas externas, apesar da crise. Isso em função do lançamento de novos produtos – em 2008 foram lançados mais de 15 – e da entrada em novos países. As vendas da Condor normalmente são feitas por meio de participação em licitações.

A Condor é líder, na América Latina, na fabricação de equipamentos não letais e pirotécnicos de alta tecnologia. A sua sede fica no município de Nova Iguaçu, interior do estado do Rio de Janeiro. A empresa existe desde 1985 e possui ISO 9000 – indicativo de qualidade – e ISO 14000 – indicativo de preservação ambiental. A empresa está em uma área de um milhão de metros quadrados e mantém 40% disso com florestas.


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa