26 de mar de 2009

Empresários de Brasil e Argentina discutem comércio bilateral

A manutenção do Acordo Automotivo Brasil-Argentina, que tem validade até 2014, foi confirmada ontem (25/3) pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ivan Ramalho, e pelo secretário de Indústria da Argentina, Fernando Fraguío, após a primeira reunião de empresários dos dois países. O encontro ocorreu em Buenos Aires (Argentina) e reuniu representantes dos setores de autopeças, denin (tecidos para jeans), móveis de madeira e vinhos.

A garantia de manutenção do acordo foi acertada após a confirmação de que os argentinos fizeram uma proposta para que o Brasil reduza, ainda neste ano, a quantidade de baterias de automóveis vendidas à Argentina – de 1.500 unidades (em 2008) para 600 mil em 2009.

Para Ivan Ramalho, é cedo para se falar em números, uma vez que serão necessárias três ou quatro reuniões para “se chegar aos acordos”. Ele reforçou, porém, que não há intenção do governo brasileiro em rever o acordo automotivo. “Pelo contrário, queremos fortalecê-lo”, afirmou. O mesmo discurso foi feito por Fernando Fraguío, segundo o qual “a Argentina não está planejando mudar as regras do jogo”.

São Paulo

Nessa primeira reunião, nenhum acordo foi fechado. Um próximo encontro está previsto para os dias 7 e 8 de abril, em São Paulo. Além dos setores que já se encontraram, deverão se reunir representantes dos segmentos de máquinas agrícolas e ferramentas, eletrodomésticos, brinquedos, tratores, equipamentos elétricos, celulares, motocicletas, farinha de trigo, leite em pó, pêssego, alho e aerossol.

Segundo o secretário de Comércio Exterior do MDIC, Welber Barral, somente após a conclusão das negociações será possível discutir o monitoramento desses acordos. Barral adiantou que provavelmente será criada uma comissão bilateral de acompanhamento para cada setor.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Social do MDIC
(61) 2109.7190 e 2109.7198
Juliana Ribeiro
juliana.ribeiro@desenvolvimento.gov.br


0 comments:

Postar um comentário

Resultado da pesquisa